Select Page

Escola Superior de Leiria e Gulbenkian criam projeto para dar competências a crianças

A Escola Superior de Saúde de Leiria (ESSLei) vai desenvolver um projeto, financiado pela Fundação Gulbenkian, que pretende atribuir às crianças competências que lhes permitam uma maior resiliência e adaptabilidade na sociedade no futuro.

O projeto, liderado pela docente da licenciatura em Terapia Ocupacional da do Instituto Politécnico de Leiria Vanda Varela Pedrosa, tem como objetivo “dar ferramentas aos cuidadores formais.

Ao trabalharem com as crianças diariamente em “idade chave”, ou seja, entre os dois e os oito anos, os profissionais irão tentar ensinar capacidades de resiliência, de saberem gerir conflitos e, assim, garantirem uma melhor adaptabilidade no futuro, explicou Vanda Varela Pedrosa à agência Lusa.

A docente adiantou que, inicialmente, a ideia era envolver também os pais, mas a Fundação entendeu que se deveria apostar nos cuidadores formais que atuam diretamente com as crianças, como professores, educadores de infância, assistentes técnicos, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e assistentes sociais.

O grupo de trabalho escolheu a metodologia “Incredible Years” – que visa prevenir e tratar os problemas de comportamento das crianças. promovendo as suas competências sociais, emocionais e académicas – que “já foi estudada e tem provas dadas”.

Vanda Varela Pedrosa espera, através deste modelo, dotar as crianças do maior leque de competências, como “serem diariamente mais autónomas na gestão de conflitos, melhorarem a atenção e a concentração, e fazerem melhor a gestão da rotina diária”.

A docente considerou que o projeto “não tem a ver diretamente com a parte académica”, explicando que se trata de possibilitar uma “melhor adaptabilidade à sociedade”, com “crianças mais resolvidas, mais ativas e mais negociadoras”.

Aprovado para 15 meses, está previsto um plano de várias sessões, totalmente gratuito, ao longo do ano civil de 2019 e com um cariz muito prático.

“A ideia será dividir as sessões para que os cuidadores possam aplicar no seu dia-a-dia as aprendizagens e, assim, analisarmos e ver se há ajustes a fazer”, explicou.

A subdiretora da escola, Carolina Henriques afirmou ainda que “aprovação deste projeto, em que a ESSLei é reconhecida como uma Academia do Conhecimento, traduz o empenho, a dedicação e o rigor” da escola na investigação e conhecimento científico.

“Nesta Academia do Conhecimento, procuramos desenvolver nas crianças competências que permitam liderar o seu sentido crítico, a frustração, a capacidade de resolver problemas e a adaptação às mudanças. Muitas vezes as crianças estão fechadas nas tecnologias e o mundo não é aquilo”, sublinhou a subdiretora.

Por ter sido considerada como Academia do Conhecimento da Fundação Calouste Gulbenkian, o projeto da ESSLei conta com o apoio técnico e um financiamento superior a 30 mil euros.

Nesta primeira fase, o projeto será aplicado em agrupamentos de escolas, unidades de cuidados na comunidade, Instituições Particulares de Solidariedade Social dos concelhos de Leiria e Porto de Mós.

O programa envolve como parceiros as câmaras municipais de Leiria e de Porto de Mós, que vão trabalhar diretamente com a ESSLei, um bolseiro e cerca de uma dezena de docentes.

O projeto teve ainda o apoio do Gabinete de Projeto do IPLeiria. “São as autarquias que têm maior conhecimento do terreno e temos uma ligação com estas duas há algum tempo”, justificou Carolina Henriques.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga-nos

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da semana

A carregar

Concorda com a lei que proíbe o abate de animais nos canis municipais?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Região de Leiria no Facebook

Subscrição de newsletter

Share This