Assinar Edições Digitais
Leiria

Exploração de framboesas biológicas arrasada pelo vento em Picoto, Leiria

Uma exploração de framboesas biológicas não escapou à fúria do vento, em Picoto, freguesia de Souto da Carpalhosa e Ortigosa, Leiria. As estufas voaram e a campanha de inverno está perdida.

Uma exploração de framboesas biológicas não escapou à fúria do vento, em Picoto, freguesia de Souto da Carpalhosa e Ortigosa, Leiria. As estufas voaram e a campanha de inverno está perdida.

José Gonçalves, responsável da Nutrix – Organic Berries, estima em cerca de 70 mil euros os prejuízos financeiros decorrentes dos danos sofridos nas estufas e da perda da produção que se estende por cerca de 7.000 metros quadrados.

O arranque da colheita das framboesas estava agendado para o mês de novembro, e deveria durar cerca de dois meses, ocupando cerca de sete pessoas.

Com a destruição da exploração, e de outras na zona do Vale do Lis, José Gonçalves aguarda que o Estado reconheça a situação como sendo de calamidade de modo a que o sector possa ser ressarcido dos estragos e perda das produções.

O rasto de destruição surpreendeu o empresário. Recordava os vendavais registados o ano passado, “por esta altura do ano”, mas “as nossas estruturas resistiram bem”.  “Quando vi as notícias, previ que ocorressem alguns danos mas não com esta dimensão”, confessa ao REGIÃO DE LEIRIA; referindo não se possível tomar, para este tipo de estruturas, quaisquer medidas preventivas.

“Todas as estruturas da região foram afetadas” com “estragos muito avultados para os agricultores”, pelo que “se estes casos não forem enquadrados numa situação de calamidade pública, não sei quais poderão ser”, adianta.

Henrique Damásio, administrador-delegado da Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Lis (ARBVLI), confirma a extensão dos danos.

Todas a estruturas agrícolas com cobertura de plástico foram muito afetadas”, adianta, estimando em cerca de cinco hectares (50 mil m2) a área abrangida no Vale do Lis por estufas com produções de inverno.

Da ronda que efetuou hoje, calcula que os prejuízos possam rondar 1,5 milhões de euros e que 12 explorações tenham sido fortemente afetadas.

MR

Exploração de framboesas biológicas, com  cerca de 7 mil m2 quadrados, ficou irrecuperável  Foto: JG