Select Page

Leiria espera chegar até 7 mil espectadores com Ópera no Património

Depois de ter lotado o Teatro José Lúcio da Silva em 2018, Ópera no Património está de regresso

São sete espetáculos que podem chegar até 7 mil espectadores. A terceira edição de Ópera no Património chega a Leiria entre 5 e 9 de setembro com uma novidade: um concerto no novo Jardim da Almuinha Grande.

É aí a grande aposta da organização para levar a chamada “grande música” ao grande público. Num dos anfiteatros do jardim, junto à rotunda, dia 8 de setembro interpreta-se, a partir das 21h30, “Requiem” de Giuseppe Verdi.

“São sete concertos e temos capacidade para até sete mil pessoas. Só neste espaço poderemos chegar a alguns milhares de pessoas”, disse a vereadora da Cultura hoje, na apresentação da programação.

Anabela Graça encara Ópera no Património como um caminho para a “democratização cultural”:

“Com este conjunto de concertos queremos atrair público não só de Leiria mas também de todo o nosso território, com o objetivo de valorizar a cultura mas, também, de democratizar a cultura”.

Depois de nos dois primeiros anos o projeto Ópera no Património ter chegado a diversos monumentos e espaços edificados relevantes, este ano cria uma ligação ao património natural.

“O Jardim da Almuinha Grande é um espaço nobre e novo. Trazer a ópera aqui cria-nos uma grande expectativa sobre a reação do público”, sublinha a vereadora, desejando que aquela zona verde seja também “um palco para as artes”.

Os concertos vão acontecer também no Museu de Leiria, Moinho do Papel, Biblioteca Municipal e Teatro José Lúcio da Silva, que recebe a grande ópera final.

“Para Leiria desenvolvemos um programa especial”, explica o responsável por Ópera no Património. Depois de dois anos de experiência acumulada, José Ferreira Lobo será possível arriscar num novo palco, ao ar livre, num espaço público a poucos metros de uma das entradas na cidade, junto à via A19/IC2, para “ganhar algumas pessoas para a ópera”:

“Ao ar livre, a ópera não tem a carga que tem para certas camadas da população. Verificamos isso em Foz Côa ou Pinhel, onde quem passa ouve e fica. O processo de aculturação feito por um convite natural à fruição pode ser muito positivo”.

No Jardim da Almuinha Grande, aproveitando o cenário natural e com trabalho de sonoplastia especial, será apresentada “uma das obras mais impactantes que Verdi escreveu”, o “Requiem”, que foi criado “de uma forma operática”, sendo, por isso, coerente com o programa.

“Trata da missa dos mortos, mas o público vai gostar imenso”, garante o maestro, prometendo que “se vai sentir imenso o contexto operático”.
“É uma obra redentora. Tem um fim em climax apoteótico e é muito mais do que uma missa de defuntos”, acrescenta.

Para fechar o programa de 2019 em Leiria, dia 9 de setembro, foi escolhida “Madama Butterfly”, “a ópera mais representada de Puccini em toda a Europa”.

“É uma história pungente, com música magnífica, e será certamente do agrado do público”, antecipa José Ferreira Lobo.

A entrada é livre e a lotação é limitada a 729 lugares, tendo sido já levantados cerca de 200.

Este é o último ano de três de Ópera no Património. Hoje, a vereadora da Cultura anunciou que há a intenção de dar continuidade à iniciativa do maestro José Ferreira Lobo:

“Para além dos concertos tem uma vertente educativa, que trabalhamos também com as escolas, onde a ópera entra como algo de novo”, sendo o balanço “muito positivo”.

Assim, Leiria, que lidera este projeto, em que também estão os municípios da Batalha, Viseu, Pinhel, Foz Coa e Coimbra, “irá apostar na continuidade de Ópera no Património”, pela “qualidade dos concertos e dos projetos educativos”, anunciou Anabela Graça.

Programa*

5 de setembro
18 horas
Quarteto de Cordas, “Quarteto Americano”, Dvorak
Moinho do Papel

19h30
Quarteto de Cordas, “Quarteto Americano”, Dvorak
Centro de Diálogo Intercultural de Leiria

7 de setembro

18 horas
Grupo de Cordas, “Serenata”, de Tchaikovsky
Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira

21 horas
Ensaio Aberto de “Madama Butterfly”, ópera em três atos de Giacomo Puccini
Teatro José Lúcio da Silva

8 de setembro
11 horas
Grupo de Sopros
Museu de Leiria 


21h30
Requiem” de Giuseppe Verdi, concerto coral sinfónico
Jardim da Almoinha Grande

9 de setembro
21 horas
“Madama Butterfly”, concerto operático em três atos de Giacomo Puccini
Teatro José Lúcio da Silva

* Todos os espetáculos têm entrada livre. Para a ópera final, para maiores de 6 anos, é necessário levantar bilhete no Teatro José Lúcio da Silva (bilheteira aberta a partir das 18 horas)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda com a mudança de nome do Estádio de Alvalade para Estádio Cristiano Ronaldo?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Share This