Assinar

PSP de Leiria assinala Dia Aberto com atividades para os mais novos

Visitantes viveram experiência de treino, tiro, condução e esclareceram dúvidas sobre a atividade da PSP (fotogaleria)

“O que mais gostei foi tiro ao arco”, disse Afonso Neto. O menino, de 9 anos, foi uma das 560 crianças que participou no dia aberto da PSP de Leiria e esperava na fila para repetir a atividade, juntamente com os restantes colegas de um ATL da cidade.

Ao lado estava  Luís Lourenço que, com 7 anos, já sabe que quer ser polícia. O que mais gostou foi “de correr, fazer flexões e abdominais” numa atividade que simulava os treinos de preparação física dos agentes da autoridade.

Para João Macedo, essa foi também a parte preferida do dia que passava ao lado dos companheiros de outro ATL. Acredita que o trabalho da PSP é importante porque trava as “pessoas que fazem assaltos e roubam muito dinheiro”, disse ao REGIÃO DE LEIRIA, o rapaz de 7 anos.

As instalações da PSP de Leiria abriram esta sexta-feira as portas do comando, localizado junto ao castelo de Leiria, e a mascote – o Falco – foi um dos pontos de atração para os mais novos.

Além de tiro ao arco e treino físico, foram muitas as atividades preparadas para os mais novos. Leonor Cena gostou de “disparar as armas” a laser e “ver o filme sobre o que os polícias fazem” no dia-a-dia. Para a menina de 7 anos, a ação da PSP resume-se numa palavra: “proteger-nos”.

A iniciativa anual recebeu 560 crianças ao longo de todo o dia, que percorreram 12 estações: insufláveis, exposição de meios, exposição de artigos da PSP, pista de carrinhos a pedal com operação STOP, laboratório da Unidade de Polícia Técnica, atividade de tiro com armas de laser, defesa pessoal, mini provas de admissão, proteção ambiental, tiro com arco e demonstrações de atuação policial.

JM

Joaquim Dâmaso
Fotojornalista
joaquim.damaso@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.