No ano passado, a PSP registou 13 atropelamentos com fuga Foto: Joaquim DâmasoUma pessoa morreu, nove ficaram gravemente feridas e 107 sofreram ferimentos ligeiros, no ano passado, na sequência de 112 atropelamentos registados pela PSP no distrito de Leiria. A morte registada ocorreu na Marinha Grande. Em 13 destes 112 casos, houve fuga dos condutores. Seis foram identificados posteriormente. Quanto às principais causas para a ocorrência destes acidentes, a PSP aponta desobediência à passadeira – “muitas vezes devido a distração ou falta de luminosidade do local para a travessia de peões” -, atravessamento irregular da faixa de rodagem, desobediência ao sinal vermelho por parte dos condutores, marcha atrás irregular e velocidade excessiva. Recorde-se que já este ano, no dia 4, duas jovens, de 16 e 17 anos, sofreram ferimentos ligeiros ao serem atropeladas numa passadeira junto ao LeiriaShopping, tendo o responsável abandonado o local. Segundo a PSP, “foi efetuada a preservação das imagens com intuito de identificar o veículo”, sendo que “as imagens só serão visualizadas caso uma das vítimas venha a exercer o direito de queixa que lhe assiste”. Apesar das campanhas de sensibilização – já esta semana a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) voltou a lançar a campanha “Atenção aos Peões. Não atropeles os teus planos” com o objetivo de alertar condutores e peões para a importância de cumprirem as regras e redobrarem cuidados na estrada – o número de atropelamentos não tem diminuído nas zonas urbanas. Mais de uma centena de atropelamentos por ano Em 2017, a PSP contabilizou 111 atropelamentos de peões nas sete cidades onde tem esquadra, e em 2018 outros 111. Destes acidentes resultaram 22 feridos graves e 220 ligeiros. No total dos três anos, a zona urbana de Leiria lidera em número de casos, com um total de 132 atropelamentos (48 dos quais em 2019), seguindo-se as cidades de Caldas da Rainha (70), Marinha Grande (50), Peniche (29), Alcobaça (22), Nazaré (18) e Pombal (13). Os dados apurados junto do Comando Distrital da PSP indicam ainda que nesses três anos, 171 atropelamentos ocorreram fora das passadeiras e 163 em passadeiras. Quanto ao período do dia com mais ocorrências, constata-se que a maioria (171) aconteceu entre as 13 e as 20 horas, tendo 117 sucedido de manhã (entre as 7 e as 13 horas), e 46 durante a noite (entre as 20 horas e as 7 do dia seguinte). MR Notícia originalmente publicada na edição impressa de 16 de janeiro