Assinar Edições Digitais
Batalha

Covid-19: Pavilhões transformam-se em hospitais de campanha

Pavilhões da região estão a ser adaptados para receber hospitais de campanha ou centros de recolha e análises à Covid-19.

Caldas da Rainha, Batalha, Leiria, Pombal são alguns dos municípios que estão a instalar hospitais de campanha e centros de recolha e análises em infraestruturas desportivas.

No estádio municipal de Leiria, estão a ser criadas condições para, em caso de necessidade, serem instalados gabinetes de consulta médica e de isolamento.

O objetivo é aliviar os centros de saúde e o hospital, evitar novos focos de contágio e reduzir o risco de colapso dos serviços.

Para além da maior infraestrutura desportiva do concelho de Leiria, os
pavilhões desportivos vão igualmente integrar a rede de espaços de isolamento que a Câmara se encontra a preparar, em articulação com as autoridades de saúde, proteção civil, juntas e uniões de freguesias.

Na Batalha, desde dia 19 que o município anunciou a instalação, no pavilhão gimnodesportivo da vila, de um espaço de acolhimento temporário, com 39 camas, e mais uma centena de camas de unidade hoteleiras como retaguarda.

A Expocentro, em Pombal, local de eleição para as provas nacionais de atletismo de pista coberta, vai “ganhar” outra valência. A infra-estrutura vai acolher um centro de recolha e análises à Covid-19, que funcionará em sistema drive-thru, destinado aos cidadãos dos concelhos de Pombal, Ansião, Alvaiázere, Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande e Castanheira de Pera, mediante prescrição das autoridades de saúde.

Nas Caldas da Rainha, o Centro de Alto de Rendimento de Badminton foi transformado num hospital de campanha com capacidade para 30 doentes, na passada segunda-feira. Também o Pavilhão da Mata, pela proximidade ao hospital, terá a mesma capacidade e poderá receber “doentes com quadros mais complicados”, quando esgotada a capacidade hospitalar, obrigando, nesse caso, a “ter duas equipas a funcionar em simultâneo”, explicou a diretora clínica do Centro Hospitalar do Oeste (CHO), Filomena Rodrigues, à agência Lusa.

Também desde a passada segunda-feira que se encontra montado um hospital de campanha no espaço “Campo Aventura”, em Olho Marinho, concelho de Óbidos, para caso seja necessário, dar apoio às estruturas de saúde regionais existentes. Tem capacidade para 200 camas e foi criado pela Protecção Civil de Óbidos, Delegação de Saúde de Óbidos e Centro Hospitalar do Oeste.

Em Ansião, o Instituto Vasco da Gama, o Centro de Negócios, antigas escolas primárias e infraestruturas desportivas “estão preparadas para funcionar como centros de apoio operacional e logístico” na resposta de socorro a uma eventual situação de emergência.

Um centro de isolamento e quarentena para cidadãos em vigilância foi montado no pavilhão da Escola Guilherme Stephens, junto ao Centro de Saúde da Marinha Grande, no dia 28 de março.

O espaço tem capacidade para 50 camas e foi adaptado pela autarquia, em colaboração com o Agrupamento de Escolas, bombeiros, Proteção Civil, profissionais do centro de saúde, e unidades hoteleiras, que disponibilizaram roupas das camas e cobertores.

A autarquia dispõe ainda de 30 camas de reserva que poderá utilizar para profissionais de saúde ou outro centro de isolamento, na freguesia de Vieira de Leiria.

(atualização no dia 28, pelas 15 horas, com informação do município da Marinha Grande)

Fotos: CMB, CMCR, Joaquim Dâmaso, CMMG