Mais tempo em casa e queda para metade nos movimentos para o trabalho. Estas são algumas conclusões saídas da análise que a Google fez sobre as movimentações das pessoas no distrito de Leiria. Idas a centros comerciais, restaurantes e outros locais de recreio, caíram a pique. E nos parques e praias também.

Se anda com o telemóvel usualmente com a localização ativada, é bem possível que tenha ajudado a apurar estes dados. Constam nos relatórios de mobilidade da Google, nova ferramenta partilhada para ajudar no combate à pandemia.

A informação resulta dos hábitos revelados pelas movimentações dos utilizadores que partilham a sua localização com a empresa: a cedência desta informação pode ser controlada nas definições de privacidade da Google.

O novo relatório apresenta dados por país e, no caso de Portugal, também por distrito. Refere-se às movimentações desde meados de fevereiro até ao final de março.

São fornecidas informações sobre movimentações em locais de retalho e recriação – que incluem museus, centros comerciais e cinemas -, supermercados e farmácias, parques e praias, estações de transportes públicos, locais de trabalho e zonas residenciais.

Sem surpresa, percebe-se que estamos mais tempo em casa, menos no trabalho e, muito menos nos locais de recreio. Farmácias e supermercados também sofreram grandes quedas, mas menos acentuadas, ainda assim.

Parte do relatório referente a Leiria.

No distrito de Leiria, fica evidente que a maior queda se registou nas idas a zonas de recreio e aos parques e praias, com uma descida de 85%. Seguem-se as estações de transportes públicos, com um decréscimo de 81%.

Nas farmácias e supermercados, a queda cifra-se em 69% relativamente a um cenário normal. Este é um valor que não surpreende, pois apesar dos apelos para o confinamento domiciliário, continua a ser permitida e necessária, a deslocação para o abastecimento de bens alimentares e outros, bem como de medicamentos.  

Só metade ficou no local de trabalho

Por último, a ida a locais de trabalho caiu 50% e a permanência em casa subiu 23 por cento. Ou seja, a permanência em locais de trabalho caiu para metade e o gráfico da Google mostra que essa mudança aconteceu rapidamente, em cerca de uma semana.

Atendendo que, em muitos casos, se adotou o teletrabalho, este é um indicador de que essa alteração radical na forma de trabalhar aconteceu num ápice.

Leiria não fica muito distante da média nacional. No distrito e no país, o encerramento das escolas marcou o início do recuo acentuado nas movimentações. Efetivamente, em Portugal, as deslocações a zonas de recreio caíram 83%, aos supermercados e farmácias, recuaram 59% e aos parques e praias, 80%.

As idas a locais de transporte recuaram 78% e aos locais de trabalho, 53%. Consequentemente, o aumento da presença em zonas residências foi de 22% em todo o país.  

Os dados não são absolutamente representativos, pois apenas refletem a informação recolhida pela empresa que garante que não feriu a privacidade dos utilizadores. Todavia, estes números fornecem um vislumbre do impacto das medidas de combate à pandemia na região, no país e no mundo.