A Direção da Organização Regional de Leiria do Partido Comunista Português reclama a reposição de “todas as carreiras” no transporte rodoviário de passageiros na região.

A tomada de posição da estrutura regional dos comunistas foi hoje tornada pública em comunicado. No documento, alertam para “as consequências de supressão total ou parcial de inúmeras carreiras de transportes públicos rodoviários, imposta pelos operadores privados” .

Lembram igualmente que a situação está a “acarretar sérios problemas na mobilidade dos trabalhadores e populações” da região.

Os comunistas da região temem ainda pelas consequências que a situação pode implicar, nomeadamente pelas “condições de saúde pública em que é prestado o serviço de transporte rodoviário”.

A estruta regional do PCP aponta ainda o dedo à “abusiva redução significativa dos salários dos trabalhadores destas operadoras devido à situação de lay-off em que continuam”.

No comunicado, é denunciado o “reduzido o número das chamadas ‘ligações rápidas’ a Lisboa, a partir das Caldas da Rainha e de Peniche”. É ainda Referido que “a pretexto” do encerramento das escolas, ocorreu a “supressão quase na totalidade” de ligações concelhias ou inter-concelhias.

É “inaceitável”, entende do PCP, que “num quadro de progressiva retoma das atividades económicas”, os operadores rodoviários de transporte de passageiros “se escusem a cumprir a sua função de serviço público essencial na mobilidade das populações”.