A Batalha registou a maior taxa de crescimento de população da Região de Leria em 2019, ano em que Portugal voltou a ganhar residentes, depois de dez anos a perder população.

A população portuguesa aumentou no ano passado em relação a 2018, graças à imigração, com um crescimento efetivo de 0,19 por cento, a primeira vez em 10 anos, segundo o Instituto Nacional de Estatística. Em 31 de dezembro de 2019, a população residente em Portugal foi estimada em 10.295.909 pessoas, mais 19.292 que em 2018, adianta o instituto.

Os dados foram divulgados na última segunda-feira e mostram que na região, durante o ano passado, o concelho da Batalha aumentou em 123, o número de habitantes, o que corresponde a uma taxa de crescimento de 0,77%, a mais alta entre os dez concelhos que compõem a Região de Leiria e quase quatro vezes mais elevada que a média nacional. Este resultado inverte o ligeiro decréscimo (-0,8%) do ano passado. No final do ano passado, estima o INE, a Batalha contava com 15.963 residentes, contra 15.840 do ano anterior.

Em termos absolutos, Leiria foi o concelho da região que mais população ganhou no último ano. No final de 2019, contava com 125.267 residentes, mais 410 que no ano anterior (mais 0,33%).

Segue-se a Marinha Grande. Os 38.548 residentes no concelho em finais de 2019, são mais 104 que no ano passado (mais 0,27%). Os restantes concelhos da região de Leiria registaram crescimentos negativos, isto é, perderam residentes.

Em Porto de Mós, a queda foi residual, e traduziu-se em menos 13 residentes (-0,06%) para atingir os 23.275 em 31 de dezembro do ano passado. Ao invés, Castanheira de Pera, (-1,37%) é o concelho onde esse fenómeno mais se fez notar, traduzindo-se na perda de 36 residentes no concelho, que agora conta com 2.614.

Embora boa parte dos concelhos da região de Leiria tenham perdido residentes, todos registaram taxas de crescimento migratório positivas, o que significa que sem o contributo da imigração, a perda de população seria mais acentuada.