Novo parque irá confrontar a norte com o largo do Carmo, cuja saída é feita através da rua do Cais, e a sul com a rua Conde de Castelo Melhor, por onde será feita a entrada Foto: CMP

A construção de um novo Centro de Formação e Reabilitação Profissional da Cercipom (Cooperativa de Ensino e Ensino de Cidadãos Inadaptadas de Pombal) foi aprovada pela Câmara de Pombal, que irá investir 700 mil euros no projeto.

A autarquia anunciou também esta quinta-feira a criação de uma nova zona de estacionamento no centro histórico da cidade, que deverá custar aos cofres do município cerca de 120 mil euros.

O novo centro de formação da Cercipom irá ficar localizado na rua António Champalimaud, na Zona Industrial da Formiga, resultando da remodelação e adaptação de um imóvel de dois pisos que o Município adquiriu para o efeito, no final do ano passado.

A intervenção prevê a instalação, no primeiro piso, de salas de formação em carpintaria, serralharia, hortofloricultura e em serviços de rouparia (engomadoria), além de espaços para a direção, coordenação, refeições, cozinha e copa. Já o piso superior acolherá salas de informática,. Formação em artes, formação teóricas, além de salas de reuniões e de formadores.

Quanto ao edifício onde funciona atualmente centro de formação, junto ao terminal rodoviário e estação ferroviária, está prevista a sua demolição para viabilizar a construção do interface de transportes, no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) para a cidade de Pombal.

Bolsa de estacionamento com 19 lugares

Para colmatar o número reduzido de lugares de estacionamento no centro da cidade e minimizar o estacionamento abusivo, a Câmara irá criar 19 lugares numa área com 809m2.

O projeto pretende introduzir o máximo de lugares de estacionamento no terreno, mantendo a traça já existente no centro histórico, enquadrada no património edificado, e introduzindo novos elementos naturais arbóreos de sombreamento e embelezamento.

O projeto “pretende introduzir o máximo de lugares de estacionamento no terreno, mantendo a traça já existente no centro histórico, enquadrada no património edificado, e introduzindo novos elementos naturais arbóreos de sombreamento e embelezamento”, refere o município numa nota de imprensa.