Assinar Edições Digitais
Pombal

Câmara de Pombal vai requalificar estradas no Louriçal e remover amianto na escola Gualdim Pais

A intervenção nas estradas e caminhos do Louriçal tem um prazo de execução de 120 dias e a empreitada para remoção de fibrocimento de 90 dias.

A Câmara Municipal de Pombal (CMP) adjudicou, na última reunião de Câmara, “a empreitada de requalificação de estradas e caminhos na freguesia do Louriçal, num investimento de 321.999,85 mil euros”, informa a autarquia em comunicado.

A intervenção, com um prazo de execução de 120 dias, ocorre no “caminho municipal 1017, entre a EN342 (lugares de Louriçal, Cavadas e Torneira) no limite do concelho de Pombal com o da Figueira da Foz” e em “arruamentos na Moita do Boi”.

Está, ainda, prevista uma requalificação “mais profunda” na rua da Murtinheira, entre a rotunda da EN342 e a zona industrial do Louriçal, para dar resposta “definitiva” ao estado de degradação em que se encontra a via rodoviária.

Os trabalhos surgem com o objetivo de “promover a segurança rodoviária” no caminho municipal 1017 e visam a instalação de sinalização rodoviária, bem como a implementação de “lombas redutoras de velocidade” e “passadeiras” ao longo do troço com o objetivo de garantir a segurança pedonal.

A autarquia refere ainda que serão melhorados os pavimentos das ruas do Cavalheiro e Engenheiro Guilherme Santos, nas Cavadas, e das ruas da Fonte dos Loureiros, da Terra da Vinha, do Campo de Futebol e do Barroquito, em Moita do Boi.

Amianto removido na Escola Básica Gualdim Pais

Durante esta semana, a CMP aprovou ainda a abertura de concurso para a remoção das estruturas de fibrocimento com amianto existentes nas instalações da Escola Básica Integrada Gualdim Pais.

A empreitada, com um custo base de 195.600 mil euros, tem “um prazo de execução de 90 dias” e prevê a substituição de “aproximadamente 3.200 m2 de cobertura, assim como as telas das respetivas caleiras”, revela o município.

As intervenções, segundo a CMP, resultam de “inventariação feita pelas áreas governativas da Educação e da Coesão Territorial em articulação com as Autoridades de Gestão dos Programas Operacionais Regionais e com as comunidades intermunicipais e municípios”.

A iniciativa foi aprovada pela Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) e será financiada na totalidade pelo Programa Operacional Regional Centro 2020.