A GNR deteve três homens, nos últimos seis dias, por suspeita de violência doméstica, em três concelhos do distrito de Leiria.

Em Ansião, a GNR anunciou hoje a detenção de um homem, de 46 anos, suspeito de exercer “maus-tratos físicos e verbais” ao longo de 13 anos sobre a sua mulher, de 45, que alegadamente ameaçava de morte “com recurso a uma arma de fogo”. Durante a operação foram ainda apreendidas duas armas de fogo.

“A vítima foi impedida de fazer a sua vida normal, temendo a concretização das ameaças”, que também tiveram consequências para os dois filhos menores do casal, afirma a Guarda em comunicado. Acrescenta ainda que “o suspeito foi constituído arguido e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Pombal”.

Em Peniche, na passada quarta-feira, 21 de outubro, foi detido em flagrante delito um homem de 59 anos, por violência doméstica.

Em comunicado, a Guarda explica que, na sequência do acionamento de um botão de pânico de violência doméstica, apurou-se que a vítima, uma mulher de 39 anos, estava a ser seguida pelo seu ex-companheiro. Já na presença dos militares, informou que o veículo do agressor se encontrava nas imediações, tendo este sido localizado e intercetado pouco tempo depois.

O suspeito foi detido e após ter sido presente ao Tribunal Judicial de Peniche, no dia seguinte, ficou sujeito às medidas de coação de afastamento pessoal da vítima e impossibilidade de frequentar e visitar o local de trabalho e freguesia onde ela reside.

Em Caldas da Rainha, a GNR deteve em flagrante delito, no passado dia 19 de outubro, um homem de 35 anos pelo crime de violência doméstica. Na sequência de uma denúncia, os militares da guarda deslocaram-se ao local e apuraram que o suspeito ameaçou de morte, com recurso a arma de fogo, a vítima, a mulher de 39 anos, com quem mantinha uma relação de 16 anos, informa aquela força militar em comunicado.

No seguimento das diligências policiais, no dia 20 de outubro, foi realizada uma busca domiciliária à residência do detido e anexos que resultou na apreensão de três quilos de explosivos (petardos) e 95 munições de calibre 6,35mm.

Foram ainda elaborados dois autos de contraordenação por falta de documentação no âmbito da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção, punível com uma coima no valor máximo de 2.000 euros e, pela detenção de quatro aves de espécies exóticas e autóctones sem a devida documentação, punível com uma coima no valor máximo de 3740 euros. Foram apreendidos exemplares das espécies Papagaio Cinzento “Psittacus erithacus”, Pintassilgo “Carduelis carduelis”, Lugre “Spinus spinus” e Tentilhão “Fringilla coelebs”.

Após ser presente ao Tribunal Judicial de Caldas da Rainha, no dia 21 de outubro, foi aplicada ao detido a medida de coação de termo de identidade e residência.