Assinar
Peniche

Pai e madrasta acusados de matar Valentina e esconder o corpo

Crimes de homicídio qualificado e profanação de cadáver

Caso Valentina

O despacho de acusação do pai e da madrasta de Valentina, a menina assassinada em Atouguia da Baleia, concelho de Peniche, foi enviado na segunda-feira, dia 9, pelo Ministério Público (MP) para o juiz de Instrução do Tribunal de Leiria.

O MP concluiu assim a investigação à morte da menina, de 9 anos, e, segundo revela o Correio da manhã, acusa o pai e a madrasta, de 32 e 38 anos, pelos crimes de homicídio qualificado e profanação de cadáver.

O caso aconteceu na manhã do dia 7 de maio, quando a criança foi dada como desaparecida, depois de uma denúncia do pai no posto da GNR de Peniche.

O progenitor acabaria por confessar o crime, após dois dias de buscas, e indicar às autoridades policiais o local onde tinha escondido o corpo; posteriormente encontrado nas imediações da sua casa, numa zona de eucaliptos, em Atouguia da Baleia, concelho de Peniche.

Sandro e Márcia Bernardo foram detidos a 10 de maio, por suspeita de terem matado a filha e enteada no interior de casa, na Atouguia da Baleia, e de terem abandonado o corpo no eucaliptal.

A pena máxima prevista para estes casos é de 25 anos de prisão.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.