Assinar Edições Digitais


Porto de Mós

Porto de Mós aprova orçamento de 22,7 milhões de euros para 2021

A partir de 1 janeiro de 2021, todas as crianças que nasçam de agregados residentes no concelho vão ter um apoio de 500 euros.

castelo de porto de mós

 A Câmara de Porto de Mós aprovou o orçamento para 2021, no valor de 22,7 milhões de euros, elaborado também para dar “resposta às dificuldades que poderão existir por parte dos munícipes” devido à pandemia.

“O contexto atual em que vivemos não nos permite ficar alheios das necessidades de curto prazo da nossa população. Nesse sentido, este executivo baseou a construção do orçamento para 2021 na capacidade de resposta às dificuldades que poderão existir por parte dos munícipes”, lê-se numa nota de imprensa do município.

De acordo com a mesma nota, “só no reforço exclusivo das rubricas da ação social, este orçamento prevê um aumento na ordem dos 76,79% em relação ao ano de 2020”.

“Se considerarmos grande parte do serviço social distribuído por diversas rubricas e incluirmos, ainda, as rubricas afetas à saúde, trata-se de um investimento previsto para 2021” na ordem dos 1,6 milhões de euros, quando este ano foi de 1,3 milhões de euros, acrescenta.

Segundo a câmara, “o outro foco prioritário é o desenvolvimento económico”, prevendo-se no próximo ano um investimento de cerca de 2,2 milhões de euros, “representando um aumento de 234,06% em relação ao ano presente”.

“A par das isenções na Derrama já aprovadas para apoiar ainda mais as empresas do concelho, o início da infraestruturação da Área de Localização Empresarial de Porto de Mós será uma realidade no ano 2021”, adianta a nota de imprensa, considerando que este investimento “representa um apoio direto a todas as empresas que, mesmo em contexto de incerteza, pretendem criar e aumentar postos de trabalho”.

O município, liderado pelo PSD, destaca ainda, para 2021, “a conclusão do abastecimento de água no concelho”, garantindo o fornecimento de água ao total dos lugares em falta na freguesia de São Bento, “num investimento com mais de uma década de atraso”. Acresce o “início do saneamento nos lugares de Cumeira, Albergaria, Cruz da Légua e Moitalina”, obras com valor estimado de 1,6 milhões de euros no próximo ano e mais dois milhões de euros em 2022.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da câmara, Jorge Vala, realçou os apoios na ação social, “em mais 77%”, com “crescimento muito significativo”.

Jorge Vala adiantou que, “no âmbito da ação social, foram reforçadas rubricas que têm a ver direta e objetivamente com as famílias”, como o apoio em géneros alimentares, que vai dispor de 55 mil euros, e o programa de comparticipação da aquisição de medicamentos, que tinha cinco mil euros e vai ter no próximo ano 17 mil euros.

“Pela primeira vez, o município vai ter um regulamento de apoio à natalidade e, a partir de 1 janeiro de 2021, todas as crianças que nasçam de agregados residentes no concelho vão ter um apoio de 500 euros”, acrescentou.

Segundo Jorge Vala, o valor de 500 euros para cada bebé, a pagar em três anos, visa apoiar a natalidade, incentivar a fixação das famílias no concelho e, como vai ser distribuído em vales para compras no comércio local, apoia este setor.

O orçamento foi aprovado na segunda-feira à tarde com os votos contra do PS e a abstenção da vereadora do movimento independente AJSIM.