Assinar Edições Digitais
Cultura

“Casalinho: o maior embaixador que Leiria teve por esse mundo fora”

Assembleia Municipal de Leiria aprovou por unanimidade um voto de congratulação e louvor

A Assembleia Municipal de Leiria aprovou por unanimidade um voto de congratulação e louvor ao bailarino leiriense António Casalinho, que “com 17 anos, será já o maior embaixador que Leiria teve por esse mundo fora”.

“Todas as notas biográficas sobre ele que correm mundo, assinalarão o país e a localidade de nascimento, assim como a academia onde teve a possibilidade de ser descoberto como um dos maiores talentos mundiais para a dança”, refere o texto do voto de louvor, atribuído ao jovem natural de Santa Eufémia, aprovado na sexta-feira, dia 12.

Na semana passada, foi laureado com a medalha de ouro, correspondente ao 1º prémio, no certame do Prix de Lausanne e ganhou, ainda, ex aequo, o prémio da melhor interpretação contemporânea.

Estes prémios e outros anteriores “tornam-o o único bailarino a vencer os quatro principais concursos internacionais de ballet”.

“Naturalmente, este facto tão extraordinário para um bailarino tão jovem, tão dedicado ao estudo e com um trato humano de enorme afabilidade e genuína simpatia, é merecedor do nosso orgulho como leirienses e dos nossos parabéns que, naturalmente, também caberão aos pais Luís e Anabela, que lhe permitiram e estimularam a sua realização como grande talento para a dança”, lê-se no voto de louvor.

A Assembleia Municipal de Leiria destaca também a Academia Internacional Anarella Sanchez, que “tem sabido promover jovens talentos como o António, trazendo grande notoriedade a Leiria, nesta arte performativa, por todo o país e além fronteiras”.

“Por isso, também está de parabéns, tal como outros professores notáveis, vários estrangeiros de renome, para além de outros acompanhantes técnicos fundamentais para o desempenho a capacitação física do jovem António, como o fisioterapeuta leiriense Rui Faria, que são fundamentais para o brilho atingido por um bailarino de 17 anos de idade, como o António Casalinho”, conclui.