Assinar
Leiria

Leiria inaugura ciclovia em memória do ciclista recordista mundial Carlos Vieira – com fotogaleria

Nome do ciclista-bombeiro foi atribuído à ciclovia da avenida Heróis de Angola, no centro de Leiria.

familiares de Carlos Vieira com o presidente da câmara de Leiria Gonçalo Lopes na inauguração da ciclovia na avenida Heróis de Angola em Leiria

Uma ciclovia no centro de Leiria recebeu hoje o nome de Carlos Vieira, forma do município homenagear o ciclista-bombeiro que ao longo da carreira somou vários recordes mundiais e que morreu em 2020.

Vítima de Covid-19 aos 68 anos, Carlos Vieira é evocado no percurso instalado na avenida Heróis de Angola, tanto pelo exemplo desportivo como humano, explicou o presidente da Câmara de Leiria.

“A sua dimensão humana foi tal que a sua memória perdurará de forma permanente entre nós”, disse Gonçalo Lopes, lembrando que a vida do ciclista-bombeiro foi marcada por “dificuldades que nunca foram obstáculos para travar esta verdadeira força da natureza, que tantas alegrias” ofereceu à cidade “com os seus feitos e conquistas”.

Carlos Vieira ganhou fama em 1983, ao bater o recorde do mundo de resistência em bicicleta: durante 191 horas pedalou sem parar, perfazendo quase três mil quilómetros no antigo Estádio Municipal de Leiria.

Em 1990 fixou novo recorde do Guinness de resistência em bicicleta, mas sobre rolos, marca realizada em New Jersey, nos Estados Unidos da América.

Novamente em Leiria, em 2014, pedalou 15 horas e 14 minutos sobre rolos em cima de um carro de bombeiros e garantiu novo recorde em 2018, guiando a bicicleta durante oito horas apenas com uma mão.

Antes dessa carreira dedicada à resistência, competiu em estrada por vários clubes, entre os quais o Sporting Clube de Portugal, que se fez representar hoje em Leiria.

O vice-presidente dos ‘leões’, Pedro Lancastre, lembrou Carlos Vieira pela “resistência ímpar”, considerando-o um exemplo “inspirador para os sportinguistas de todo o mundo”.

“É uma história muito forte, uma história emocionante, muito inspiradora”, reforçou, vincando “a dedicação e devoção leoninas” com que o ciclista “viveu enquanto homem e enquanto atleta”.

“Carlos Vieira deixou-nos precocemente no ano passado, com 68 anos, mas a sua memória continuará a ser escrita nesta cidade e no Sporting Clube de Portugal”, concluiu Pedro Lancastre.

Na cerimónia, estiveram presentes familiares e amigos do ciclista. Até 23 de junho, pode ser vista na galeria do Mercado de Santana uma exposição fotográfica sobre Carlos Vieira.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.