Assinar
Leiria

Judiciária detém autores de rapto e tentativa de abuso sexual de criança

A menor, de 13 anos, terá sido raptada para casar e manter relacionamento sexual com rapaz da mesma idade.

imagem exterior do edifício da polícia judiciária de leiria

Três homens e duas mulheres, suspeitos dos crimes de rapto, tentativa de homicídio, abuso sexual de criança e danos com arma de fogo, em Leiria e Marinha Grande, foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ), na madrugada de ontem. Um sexto homem foi também localizado e identificado por envolvimento nos crimes.

Os crimes terão sido cometidos num fim de semana de junho, depois de “familiares de uma menina, de 13 anos de idade, não aceitarem o casamento dela com um rapaz da mesma idade”, informa a PJ em nota à comunicação social.

A recusa em casar a menor terá levado os suspeitos a reagirem a tiro contra o pai, “provocando danos com arma de fogo em diversos bens, nomeadamente numa casa de habitação e numa viatura”.

Com recurso a “grande violência”, o grupo envolvido terá raptado a menor, no intuito de a obrigar a “casar com o rapaz e a manter relacionamento sexual, acabando a vítima por ser libertada, no dia seguinte, pelos presumíveis raptores”, informa a mesma nota.

Os detidos, com idades entre os 26 e os 51 anos, não têm ocupação laboral conhecida. Todos têm antecedentes policiais e alguns antecedentes criminais.

A PJ informa que as deteções ocorreram em cumprimento de mandados emitidos pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Leiria (DIAP), através do Departamento de Investigação Criminal de Leiria e da Diretoria do Centro. Os detidos serão presentes à Autoridade Judiciária para aplicação de medidas de coação.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.