Assinar


Leiria

Pulseira eletrónica para homem detido por maus-tratos a companheira e filho em Leiria

Segundo a GNR, o homem, de 56 anos, é suspeito de infligir “maus-tratos verbais, psicológicos, físicos e ameaças de morte à companheira, de 45 anos, e ao filho de ambos, de 16 anos.

Um homem foi detido no concelho de Leiria por maus-tratos verbais, psicológicos e físicos, e ameaças de morte à companheira e a um filho, aguardando o inquérito obrigado ao afastamento da residência controlado por pulseira eletrotónica, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o Comando Territorial de Leiria informa que, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas, deteve na quarta-feira o homem, de 56 anos, que é suspeito de infligir “maus-tratos verbais, psicológicos, físicos e ameaças de morte à companheira, de 45 anos, e ao filho de ambos, de 16 anos”.

“Durante a relação, o agressor controlava a vítima, impondo que vestisse apenas roupas que o mesmo aprovasse e exigindo que baixasse o olhar na presença de qualquer homem”, adianta a GNR, referindo que, nos últimos 10 anos, o arguido, além dos maus-tratos, forçava a companheira “a manter relações sexuais contra a sua vontade”.

Segundo a GNR, nos últimos quatro meses, o suspeito “começou a agredir fisicamente” a mulher, agressões que “se estendiam ao filho quando tentava proteger a mãe”.

Presente ao Tribunal Judicial de Leiria para primeiro interrogatório, ao arguido foram impostas, como medidas de coação, “proibição de contactos com as vítimas por qualquer meio e de afastamento da residência familiar, controlado por pulseira eletrónica”.

À Lusa, fonte da GNR explicou que a queixa foi formalizada no dia 21 pela mulher, sendo que neste caso “a violência doméstica poderá ter sido potenciada pelo consumo de álcool por parte do arguido”.

O casal tem outro filho menor, acrescentou a fonte.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.