Assinar
Saúde

PSD acusa António Sales de passividade no caso do hospital de Leiria

Secretário de Estado da Saúde na mira dos deputados eleitos pelo círculo de Leiria.

António Sales na mira do PSD a próposito dos problemas no Centro Hospitalar de Leiria Foto de arquivo: Joaquim Dâmaso

Os deputados do PSD eleitos para a Assembleia da República pelo círculo de Leiria acusam o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, de passividade face às dificuldades de funcionamento sentidas pelo Centro Hospitalar de Leiria, considerando que a situação revela o “desnorte de um governo em fim de ciclo”.

Em carta aberta hoje divulgada, dirigida ao secretário de Estado Adjunto e da Saúde e presidente da Assembleia Municipal de Leiria, os deputados Hugo Oliveira, Margarida Balseiro Lopes, Pedro Roque, Olga Silvestre e João Gomes Marques lamentam a “degradação do funcionamento dos serviços de saúde na região de Leiria” a que, dizem, Lacerda Sales assiste “como se não tivesse qualquer responsabilidade na matéria”.

Os deputados tornam público o “profundo desagrado pela ineficácia do Ministério da Saúde” para “dotar o Centro Hospitalar de Leiria com condições mínimas para assegurar uma condigna prestação de cuidados de saúde aos utentes do SNS da região”.


Carta aberta ao Dr. António Lacerta Sales,

Secretário de Estado Adjunto e da Saúde e Presidente da Assembleia Municipal de Leiria

Exmº. Senhor Dr. António Lacerda Sales

A prestação de serviços de saúde, no nosso País, tem passado por momentos difíceis, muito agravados por uma já evidente falta de planeamento por parte do Ministério da Saúde, a qual tem contribuído, de sobremaneira, para a degradação do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

O Centro Hospitalar de Leiria tem sido um caso bem visível deste desnorte de um governo em fim de ciclo e que em nada tem contribuído para o desenvolvimento da saúde em Portugal.

Com efeito, o Centro Hospitalar de Leiria tem vindo a perder especialidades por falta de profissionais nos seus quadros e que preencham as necessidades prementes no contexto regional.

Na falta de especialistas, o Governo esconde-se na necessidade de formar mais profissionais.

No entanto, verdade é que a distribuição dos novos especialistas recai, essencialmente, sobre os grandes centros urbanos, em detrimento de regiões como a de Leiria.

O Governo tarda, pois, em criar mecanismos que permitam uma efetiva fixação dos profissionais de saúde nos territórios onde são mais precisos.

Não é admissível que o Centro Hospitalar de Leiria tenha constantemente dificuldades de funcionamento por falta de recursos humanos, com consequências graves como foi o caso do recente encerramento provisório de serviços de urgência no Hospital de Santo André.

Mas o que é verdadeiramente de pasmar é a passividade de V.ª Ex.ª, Dr. Lacerda Sales, que, apesar de exercer as funções de Secretário de Estado Adjunto e da Saúde e, desde há pouco, as de Presidente da Assembleia Municipal de Leiria, assiste a toda esta degradação do funcionamento dos serviços de saúde na região de Leiria, como se não tivesse qualquer responsabilidade na matéria.

A assunção de responsabilidades no exercício de cargos públicos exige eficiência, mas também o sentido de responsabilização que deve recair em quem representa os seus eleitores.

Assim, perante tal lamentável atitude por parte de V.ª Ex.ª, Dr. Lacerda Sales, quer enquanto governante quer na condição de autarca, vêm os deputados do Partido Social Democrata, eleitos pelo círculo de Leiria, manifestar o seu profundo desagrado pela ineficácia do Ministério da Saúde e pela sua incapacidade de dotar o Centro Hospitalar de Leiria com condições mínimas para assegurar uma condigna prestação de cuidados de saúde aos utentes do SNS da região.

Deputado(a)s

Hugo Patrício Oliveira (PSD)

Margarida Balseiro Lopes (PSD)

Pedro Roque (PSD)

Olga Silvestre (PSD)

João Gomes Marques (PSD)

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.