Assinar
Porto de Mós

Orçamento: Porto de Mós dá prioridade às infraestruturas e ação social escolar

Câmara municipal aprovou por unanimidade o orçamento para 2022, no valor de 24,9 milhões de euros

A Câmara de Porto de Mós aprovou por unanimidade o orçamento para 2022, no valor de 24,9 milhões de euros, que dá destaque às infraestruturas e à ação social escolar, revelou esta quarta-feira, dia 8, presidente do município.

Jorge Vala explicou que o documento “tem um peso grande em duas grandes áreas”, uma no âmbito das infraestruturas, que inclui a Área de Localização Empresarial da sede do concelho (3,5 milhões de euros de investimento em 2022), a recuperação da Casa dos Calados, no Juncal (um milhão de euros), e saneamento e abastecimento de água (1,5 milhões de euros)”.

“Depois, na ação social escolar, sem incluir obras, temos uma verba de um milhão de euros” para refeições, transportes, entre outros, referiu, lembrando que “Porto de Mós tem transportes escolares gratuitos para todos os alunos”.

“É um orçamento no qual, priorizando, fizemos refletir não apenas a nossa estratégia, iniciada há quatro anos, mas também todos os compromissos que assumimos perante os eleitores que em nós confiaram em 26 de setembro [data das eleições autárquicas]”, afirmou Jorge Vala (PSD).

Segundo o autarca, este é um documento que “tem de refletir o plano plurianual, projetado para os próximos quatro anos”.

Já na saúde e ação social a verba alocada é na ordem dos 600 mil euros.

“Estes 7,5 milhões de euros correspondem a mais de 50% das Grandes Opções do Plano”, declarou.

O presidente da Câmara de Porto de Mós assinalou também tratar-se de um orçamento de continuidade.

“No entanto, na minha perspetiva, é um documento dinâmico e, dentro da capacidade de avaliar essas dinâmicas, quer as alterações conjunturais, quer as circunstanciais, damos resposta às necessidades dos nossos munícipes, porque é aí que assenta toda a nossa ação”, prosseguiu.

Jorge Vala disse ainda esperar um ano de 2022 “com menor impacto da pandemia de covid-19 quer nas contas da câmara, quer para os munícipes”, para dessa forma se poder transferir verbas para outras áreas.

O autarca adiantou que, em 2025, quando termina o seu segundo mandato, “gostaria de ter uma cobertura de 90% da população ao nível do saneamento básico”.

“É uma grande ambição”, reconheceu, quando atualmente Porto de Mós tem cerca de 70% da população servida.

De acordo com Jorge Vala, falta executar “uma parte importante de saneamento básico na freguesia de Mira de Aire e outra importante em Juncal e Pedreiras”, investimentos na ordem dos 12 milhões de euros.

“Estes são projetos que têm de avançar, a bem do ambiente, da sustentabilidade, do bem-estar e da qualidade de vida das pessoas”, acrescentou.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.