Assinar
Porto de Mós

Utentes saem à rua para contestar falta de médicos em Porto de Mós

“O Centro de Saúde de Porto de Mós corre o risco de fechar por falta de médicos”, lamenta a associação local de utentes de saúde

O problema de falta de médicos no concelho de Porto de Mós motiva uma manifestação amanhã, sexta-feira, junto ao centro de saúde da vila.

“O Centro de Saúde de Porto de Mós corre o risco de fechar por falta de médicos”, lamenta a associação local de utentes de saúde, a Ur’gente, que está a anunciar o protesto agendado para as 10 horas.

“Dos cinco médicos do corpo clínico, apenas um está de serviço. Alqueidão da Serra e Mendiga-Arrimal também estão sem médico”, acrescenta a associação que pretende que a manifestação de amanhã possa alertar para a necessidade de melhorar os cuidados de saúde no concelho.

O problema da falta de profissionais de saúde em Porto de Mós já tinha sido apelidado de dramático pelas autoridades locais. Na reunião do executivo de dia 13, Jorge Vala, presidente da Câmara, salientou que a autarquia tem contactado as autoridades responsáveis pela saúde, sem sucesso.

Afirmando estar a ficar sem soluções para o problema, o autarca admitiu o cenário de, em breve, a principal unidade de saúde de cuidados primários do concelho, encerrar por falta de médicos.

Esta não é a primeira vez que a falta de profissionais de saúde motiva uma manifestação: em maio de 2019, utentes dos centros de saúde das várias freguesias do concelho protestaram contra a falta de médicos, junto ao centro de saúde de Porto de Mós.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar


Secção de comentários

  • Manuel Martins disse:

    Não se consegue atrair médicos para o Concelho. Mas não há problema. Está prevista a construção de um novo edifício para servir de posto médico para as populações das freguesias de Mendiga e Arrimal – ainda em Outubro tanto o PSd como o PS tinham essa obra na lista de promessas na campanha das autárquicas… Isto quando em ambas as freguesias (ou ex-freguesias, vale o mesmo para o caso) existem edifícios recentes construídos para esse efeito, com três décadas de uso apenas e condições de fazer inveja a muitos que servem população com muitos milhares de pessoas nas grandes cidades do país. Só que é preciso fazer obras para fazer crer que se está a fazer alguma coisa…. E que tal oferecer habitação municipal a quem vier de fora trabalhar como médico no Concelho? Perguntar-se-á por que motivo oferecer aos médicos e não a outras pessoas. A resposta é que o mundo é assim mesmo. Ou assim ou pior.

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.

Artigos de opinião relacionados