Assinar


Desporto

Pavilhão inclusivo de Leiria “devia ser a norma para todos”, defende especialista

Pavilhão do Lis foi projetado para receber, por exemplo, andebol e basquetebol em cadeira de rodas e goalball.

Leiria inaugura na terça-feira o Pavilhão do Lis, o primeiro do país construído de raiz para ser inclusivo, com características que deviam ser “a norma para todos os pavilhões”, defendeu o especialista em desporto adaptado, Raul Antunes.

Segundo o professor e investigador do Politécnico de Leiria, que coordena a pós-graduação em Desporto e Atividade Física Adaptados, o pavilhão criado em Cortes “é falado por uma situação que não devia ser exceção, mas sim a regra”.

“A norma para todos os pavilhões devia ser esta, a de preconizar e fomentar a prática inclusiva”, junto de “pessoas com algum tipo de deficiência”, disse o investigador.

Raul Antunes notou que uma das grandes barreiras ao desporto adaptado é o acesso, “quer à prática, quer à possibilidade de assistir, de se ver”.

“O princípio deste pavilhão nas Cortes parece-me muito bem e ele deve ser o ponto de partida para se desenvolver iniciativas à volta disso”, porque, além da construção, “é fundamental que apareçam iniciativas para o promover na sua verdadeira essência de pavilhão inclusivo”.

O especialista pediu para que “não se perca a noção de que o pavilhão foi construído para algo específico e essa especificidade deverá ser sempre a prioridade”.

“Senão, é como outro pavilhão qualquer, com características que todos deviam ter”, insistiu Raul Antunes.

Reconhecido e aprovado pelo Comité Paralímpico de Portugal e pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, o Pavilhão do Lis foi projetado pelo município de Leiria para receber, por exemplo, andebol e basquetebol em cadeira de rodas e goalball.

As equipas da APD Leiria treinam no Pavilhão do Lis há cerca de três meses, mas os jogos oficiais de andebol e basquetebol são realizados noutros recintos do concelho. Ainda se espera pela homologação.

O Pavilhão do Lis custou 2,2 milhões de euros. Tem bancada com 286 lugares sentados, além de oito para pessoas com mobilidade reduzida, informou o município de Leiria.

Adiada devido à pandemia, a inauguração acontece no dia 1 de março, com um programa que tem início às 14h30 e inclui dança, jogo de andebol adaptado entre as equipas da APD Leiria e a seleção nacional de andebol em cadeira de rodas e um particular de futsal entre o Sporting e o Arnal, da Maceira.

Com Lusa

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar