Assinar
Marinha Grande

GNR apreende o equivalente a seis mil euros em meixão na Praia da Vieira

Enguia juvenil foi devolvida ao habitat natural por se encontrar viva. Material utilizado para captura ilegal foi apreendido.

A presença de quatro indivíduos junto à foz do rio Lis, na Praia da Vieira, despertou a atenção dos militares da GNR do posto territorial de Vieira de Leiria, na passada terça-feira.

Os homens, com idades entre os 29 e os 58 anos, “faziam uso de diversos utensílios para a captura ilegal de meixão que, devido às suas caraterísticas, são extremamente lesivos à fauna existente”, indica a GNR de Leiria, em comunicado. Na sua posse, os suspeitos tinham 997 gramas de meixão.

O material foi apreendido, tal como o meixão que, por se encontrar vivo, foi devolvido ao habitat natural. E os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial da Marinha Grande.

O meixão é uma enguia europeia (Anguilla anguilla), na fase larvar, ou seja, ainda em idade juvenil. “É uma espécie considerada em perigo e que tem sofrido grande redução em razão da pesca ilegal, impedindo desta forma o normal ciclo de reprodução, colocando em causa a sustentabilidade da espécie”, esclarece a GNR, revelando que o valor, no mercado final (países europeus e asiáticos), pode alcançar um valor de seis mil euros por quilo.

Detido por furto em residência

Ainda na terça-feira, mas em Ansião, a GNR deteve um homem, de 43 anos, por furto em interior de residência.

Na sequência de uma denúncia de um furto em interior de residência, “os militares da Guarda deslocaram-se para o local e realizaram diligências policiais que permitiram localizar o suspeito nas proximidades, na posse de três cartões multibanco que tinham sido furtados, o que levou à sua detenção”, explica a GNR em comunicado. Os cartões foram devolvidos ao proprietário.

Foi ainda possível apurar-se que o detido tinha entrado na garagem da residência, através do escalamento de um muro, onde se encontrava o veículo destrancado.

O detido, com antecedentes criminais por tráfico de estupefacientes, foi constituído arguido, e os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Pombal.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.