Assinar


Fátima

GNR: celebrações de Fátima terminam sem registo de incidentes

A GNR agradeceu a colaboração dos peregrinos, que acederam “com tranquilidade” às orientações das autoridades

GNR faz balanço "muito positivo" da Peregrinação Internacional Aniversária (Foto: GNR)

A GNR fez um balanço “muito positivo” da Peregrinação Internacional Aniversária de maio ao Santuário de Fátima, que terminou esta sexta-feira, dia 13, sem que se tenham registado incidentes, apesar da grande afluência de peregrinos.

“Tivemos situações pontuais, como, por exemplo, uma pessoa que se perde do grupo e acaba por regressar, ou viaturas mal parqueadas, mas que rapidamente são corrigidas”, disse o capitão João Gaspar, das Relações Públicas da Guarda Nacional Republicana (GNR).

No seu entender, “o dispositivo policial foi o adequado para responder às necessidades dos peregrinos e das celebrações”.

Segundo João Gaspar, “nem todos os parques atingiram a lotação máxima”, tendo o estacionamento decorrido sem problemas.

Mesmo após o fim das celebrações, ao início da tarde, o trânsito em Fátima e nos acessos à autoestrada continuava a fazer-se com fluidez.

João Gaspar fez votos de que as pessoas que permaneceram em Fátima para almoçar vão embora gradualmente, para que a fluidez do trânsito se mantenha.

A GNR agradeceu a colaboração dos peregrinos, que acederam “com tranquilidade” às orientações das autoridades.

Além do Comando de Santarém, nas operações de segurança, que se prolongam até domingo, estão envolvidos o Comando de Leiria, a Unidade Nacional de Trânsito ou a Unidade de Intervenção, num total de 700 militares da GNR.

Equipas apeadas, de bicicleta ou a cavalo vão estar em permanência na cidade de Fátima até domingo, na segunda fase da operação Peregrinação Segura 2022.

De acordo com o Santuário de Fátima, estiveram na Cova da Iria 200 mil pessoas na quinta-feira e 170 mil hoje, para participar nas celebrações da Peregrinação Internacional Aniversária de maio.

Milhares de lenços brancos

A emoção voltou esta sexta-feira, dia 13, a marcar o final da peregrinação de 13 de maio ao Santuário de Fátima, com milhares de lenços brancos a serem acenados na procissão do Adeus.

Muitas lágrimas, acompanhadas de muitas palmas, acompanharam o percurso do regresso da imagem de Nossa Senhora de Fátima do altar do recinto até à Capelinha das Aparições.

Momentos antes, os momentos finais da peregrinação ficaram marcados com a bênção, pelo bispo de Leiria-Fátima, de uma imagem de Nossa Senhora destinada à catedral de Lviv, na Ucrânia, oferecida pelo Santuário de Fátima.

José Ornelas, na saudação final aos peregrinos, deixou também o desejo de que “a presença materna de Maria, modelo da Igreja que cuida dos mais pequenos e frágeis, resplandeça neste momento difícil”, que se consubstancia ainda numa “pandemia que condiciona toda a humanidade e uma guerra que atinge com trágica e destrutiva ferocidade a Ucrânia”.

“Que a mensagem de paz que Ela nos veio trazer em Fátima seja acolhida no coração dos que alimentam esta guerra, a fim de que pare a barbárie e se possa construir o mundo novo, com justiça, solidariedade e paz”, acrescentou.

Presidida pelo Substituto para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado do Vaticano – que no final da eucaristia de hoje ofereceu um cálice ao Santuário de Fátima -, esta foi a primeira grande peregrinação sem as restrições impostas nos últimos dois anos pela pandemia de covid-19.

Milhares de peregrinos de norte a sul do país fizeram o caminho a pé até à Cova da Iria, com as autoridades a admitirem uma afluência “próxima da habitual em anos pré-pandemia”. Segundo os serviços do Santuário de Fátima, na procissão das velas, na noite de quinta-feira, terão estado no recinto cerca de 200 mil peregrinos, enquanto hoje terão sido cerca de 170 mil os fiéis que estiveram no santuário.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar