Micael Sousa, engenheiro micaelssousa@gmail.com

Era uma vez uma região que se dizia ser de Leiria, com os seus habitantes a tentar fazer dela mais que uma fantasia. Mas a ficção foi reinando.

A região de Leiria hoje continua a ser uma “bela adormecida”, esperando por um qualquer príncipe encantado que a acorde. Também há quem diga que é um “patinho feio”, pois é tratada com desigualdade e desconsideração quando comparada com o restante bando de irmãos. Talvez a região nem seja uma protagonista neste compêndio de pequenas histórias nacionais, provavelmente é apenas uma personagem menor, talvez um dos sete anões, com muitos – especialmente os de cá – a iden­tificá-la como uma das mais trabalhadoras. Mas e o que dirão os outros anões, em lutas de pequenez, quando se comparam em acusações entre si?

As histórias vão-se contando e as aventuras desenrolando nesta região por desencantar. Nesta “Terra Média” há senhores e senhoras para muitos anéis, sem um que os comande a todos. Talvez um dia uma ou um escolhido – espero que democraticamente – irá equilibrar a “Força” desta região indefinida, evitando a adjetivação do “lado negro ou branco”, pois isso seria ignorar as várias tonalidades de cinzentos que distinguem Leiria das demais.

Provavelmente a região de Leiria deixará de ser uma fantasia quando, efetivamente, apesar de todos os contos, for definida de facto.

(texto publicado a 4 de abril de 2013)