Estamos perante a nova forma de trabalhar, este é o novo hoje. Há uns tempos escrevi aqui sobre transformação digital e agora, mais rápido do que estávamos à espera, sermos digitais é a única alternativa e, mais do que nunca, é possível afirmar: a urgência cria a necessidade de mudança.

São as circunstâncias extraordinárias que atravessamos e quando o tema é trabalho à distância, há três palavras que estão intimamente relacionadas: responsabilidade, confiança e objetivos. Em três semanas tive a oportunidade de trabalhar remotamente desde Paris, Lisboa e, por fim, Leiria. Consigo também dizer que é totalmente possível, desde que exista responsabilidade, confiança das chefias e definição de objetivos.

Ainda assim, tive oportunidade de observar alguns relatos de resistência ao teletrabalho, não porque a natureza do trabalho não o permite mas porque a cultura da empresa se coloca como um entrave. A situação é adversa mas poderá ajudar a pensar sobre a forma como se trabalha e desenvolver boas práticas, indo ao encontro dos estudos que têm sido realizados. O trabalho remoto permite refletir essencialmente sobre três aspetos: Produtividade – explorar diferentes formas de nos tornarmos mais produtivos; Stress – aliviar e sair da rotina que é o dia a dia; Equilíbrio – permitir uma melhor conciliação da vida pessoal e profissional, não colocando em causa o normal desenrolar do trabalho.

O trabalho à distância não é uma novidade, há empresas em que já é comum os seus colaboradores trabalharem a partir de casa dois dias por semana. É claro que a natureza do trabalho assim o permite e que a empresa proporciona todas as condições – computador, telemóvel, internet – aos colaboradores para que seja possível. E, neste sentido, em situações como a que estamos a viver, as empresas que já fizeram a transformação digital da sua cultura têm uma vantagem face às que ainda não passaram por este processo.

Fomos nós que tornámos o mundo plano. Os progressos da tecnologia e da comunicação permitem que as pessoas estejam “ligadas” como nunca antes, transformando as noções de distância, tempo e trabalho. É tempo de confiarmos uns nos outros, de acreditar na responsabilidade de cada um, sempre alinhado com os objetivos definidos.

(Artigo publicado na edição de 23 de abril de 2020 do REGIÃO DE LEIRIA)