Há quase 30 anos a localização faz parte do património do sítio nazareno. Com vocação típica para os peixes frescos, ficou famoso pelas sardinhas assadas, mas não se contentou apenas com tal feito. A dose de amêijoas para começar carrega seu brilho, da mesma maneira que o cherne e o robalo entre os pratos principais, todos feitos à vista dos clientes por meio da cozinha aberta. Se a fome vier em dupla, é aconselhável a dose farta do arroz de marisco, mas para garantir um dos 56 lugares da sala é recomenda-se reserva. Sobretudo em horário de almoço, a disputa por mesa mostra-se acesa.