A ementa vem em formato de passaporte, mas a expedição é nacional. Tanto que, para além do prato, a história de Portugal é contada nos detalhes do espaço, decorado por parede de pedra e nos muitos elementos antigos que pertenciam originalmente aos donos. Uma vez à mesa, prepare-se para embarcar na experiência por meio do polvo da costa à lagareiro ou com a nova vitela de comer à colher, que promete pedaços tenros na boca. Próximo da partida, quem reclama a fama de “Melhor Bolo de Chocolate do Mundo” é o doce do segredo, um pudim feito com receita de família e alguma carga de “magia”.