O nome é do marido, que habitualmente rege a sala, mas quem responde pela confeção apurada é a mulher, Sandra Miguel. Com vista privilegiada do alto das Cortes, onde bem próximo nasce o rio Lis, a cozinha segue seu fluxo sem grandes pretensões. Do trato simples, mas rigorosamente à base de bons ingredientes, resulta exemplares com agenda fixa: terça é dia de peixe fresco, enquanto às quartas opta-se por pato assado. Quinta é a vez de galo com esparguete e as sextas abre alas à afamada sopa da avó. Já aos sábados a variedade é maior e aconselha-se reserva.