Assinar Edições Digitais
Sociedade

Ana Estrada fala dos minutos que destruiram o Haiti

“A terra nunca mais parava de tremer… havia muitas dúvidas, muitas questões que em jeito de flash ocorriam: “quanto mais tempo temos de nos aguentar?!”

“A terra nunca mais parava de tremer… havia muitas dúvidas, muitas questões que em jeito de flash ocorriam: “quanto mais tempo temos de nos aguentar?! Quanto mais tempo esta mesa vai resistir?!”, “que mais posso fazer para me proteger?”, “quando é que vai parar?!”. Estes foram os primeiros pensamentos de Ana Estrada, quando ocorreu o sismo, no Haiti, no dia 12 de Janeiro.

Ana Estrada, psicóloga e bombeira nos Voluntários de Vieira de Leiria, acompanhava, como voluntária, uma missão da Nações Unidas naquele país. Chegara dois dias antes da terra tremer, depois de umas férias em Portugal.

Numa entrevista à Câmara Municipal da Marinha Grande, disponível no site da autarquia, a jovem sobrevivente, residente em Vieira de Leiria, descreve os minutos que se seguiram ao tremor de terra e o drama que encontrou quando saiu dos escombros.

(fotografia: Câmara Municipal da Marinha Grande)