Assinar Edições Digitais


Sociedade

Empresas municipais melhoram prazo de pagamento

O prazo médio de pagamento e a dívida a fornecedores das empresas municipais ISERBatalha, Pombal Viva e Verourém registou uma significativa melhoria entre 2006 e 2008, revela uma auditoria do Tribunal de Contas.

O prazo médio de pagamento e a dívida a fornecedores das empresas municipais ISERBatalha, Pombal Viva e Verourém registou uma significativa melhoria entre 2006 e 2008, revela uma auditoria do Tribunal de Contas.

As três empresas municipais da região fazem parte de um universos de 34 empresas auditadas, nas quais se regista uma redução do prazo de pagamento de 128 dias em 2006 para 99 dias em 2008

No caso da ISERBatalha, o prazo desceu de 108 para 50,9 dias, enquanto na Verourém, a evolução foi de 118,7 para 61, entre os anos de 2006 e 2008.

O estudo avaliou também a Pombal Vida, empresa entretanto extinta pela Câmara de Pombal, onde a evolução foi de 79,4 para 58,2.

No que diz respeito às dívidas de curto prazo a fornecedores, as empresas registam desempenhos diferentes. A empresa da Batalha que gere espaços verdes, cinema e actividades extra-curriculares tinha em 2006 uma dívida de 23.281 euros, valor que desceu para 15.855 em 2008. No caso de Ourém, a empresa, que actua nas áreas da educação, cultura e serviços, a dívida era, em 2006, de 183.987 euros, valor que caiu para 83.357 em 2008.

Já a Pombal Viva, que tinha atribuições nas áreas da cultura, desporto, estacionamentos e publicidade, a dívida passou de 111.123 euros para 172.588

O relatório avalia ainda a autonomia financeira destas três empresas, que nos casos da Batalha e Ourém apresentam rácios positivos (0,11 e 0,36), enquanto no caso de Pombal é negativo (-0,22).

A nível nacional, o prazo médio de pagamento e a dívida a fornecedores das empresas municipais baixaram entre 2006 e 2008.

Segundo o relatório da auditoria do TC que analisou as práticas de pagamento numa amostra de 34 empresas municipais entre 2006 e 2008, o prazo médio de pagamento a fornecedores baixou de 128 dias em 2006 para 99 dias em 2008.

Prazos são inferiores

As Câmaras da Batalha e Ourém fizeram chegar ao Tribunal de Contas documentação em que realçam que a maioria das transacções das empresas municipais são feitas com a autarquia, pelo que o prazo de pagamento a fornecedores externos é efectivamente menor. No caso de Pombal, a auditoria não disponibiliza qualquer argumentação por parte da autarquia.