Assinar Edições Digitais
Desporto

Vitória de Guimarães vence União de Leiria (0-1) e ultrapassa Sporting

Quem vencesse ultrapassava o Sporting e subia ao quarto lugar: o brinde saiu ao Vitória de Guimarães, que contou com um guarda-redes milagreiro e um médio super-inspirado no triunfo (0-1) em Leiria, sobre a União. A estreia do júnior Michael foi um dos destaques.

Nilson e Nuno Assis foram as figuras do União de Leiria – Vitória de Guimarães, ontem à noite, no Estádio Municipal de Leiria.

O guarda-redes travou todas as (poucas) oportunidades dos leirienses: dois livres de Ronny na primeira parte e um remate forte de Marco Soares no reinício do jogo.

No resto, a União de Leiria foi uma equipa pouco móvel, com muita dificuldade para se adaptar ao mau estado do relvado e com pouca ligação entre sectores.

Do outro lado, o médio Nuno Assis foi um diabo à solta: não se importou com a relva irregular e encheu o campo de lampejos de classe, sobretudo na segunda parte. E, aí, aos 59 minutos, decidiu o jogo, metendo Ronny no bolso e arrancando para a baliza de Hélder Godinho, que terá derrubado Assis, proporcionando a grande penalidade com que Andrezinho garantiu a vitória.

A União de Leiria volta a jogar sexta-feira, 5 de Março, recebendo em casa o Leixões, às 20h15.

Individualmente:

Hélder Godinho não é, definitivamente, um guarda-redes com sorte: praticamente sem que fazer na primeira parte, viria a ser protagonista no lance que decidiu o jogo. Mas ficaram algumas dúvidas na forma Nuno Assis caiu na área após ter sido tocado pelo guarda-redes leiriense, que foi expulso obrigando à estreia de Michael Domingues, que deixou óptimas indicações. O júnior de 17 anos só não defendeu (por pouco) a grande penalidade. Estreia prometedora.

Tal como há duas semanas com o Setúbal, a defesa voltou a comprometer, permitindo muitos espaços ao adversário, que, em especial incidência na segunda parte, apareceu por todos os lados. Ninguém acertou com a marcação a Nuno Assis que foi destruindo a organização da União. Apesar dos livres perigosos, Ronny voltou a falhar, deixando fugir Assis no lance da grande penalidade.

Contra um meio campo de cinco elementos, os “quatro” do Leiria sofreram bastante. O Guimarães foi superior nesse sector e salvou-se a omnipresença de André Santos a apagar “fogos” e as amostras de talento de Silas, muito pouco para uma equipa que se ressentiu da noite baça de Pateiro e de Marco Soares.

No ataque, Carlão continua o seu “jejum” de golos e de exibições convincentes, em contraste com Cássio, que recuperou a alma – mas com o Guimarães isso manifestamente não chegou. Zahovaiko teve o empate nos pés, tal como Tiago Luís (numa “bomba” que pareceu golo), mas nenhum deles conseguiu evitar a derrota.

Golo:

 

0-1, Andrezinho, de grande penalidade, 64 minutos