Assinar
Cultura

Paulo César Fajardo está a filmar as histórias que a Berlenga esconde

O realizador está a concretizar um sonho antigo: documentar uma das jóias do património natural de Portugal. E está rendido à beleza e pessoas da ilha de Peniche. O filme estreia em 2011.

“Documentar a ilha é trabalho para um ano inteiro”, diz o realizador

A Berlenga é mágica e esconde muitas histórias. Como a do restaurante que tem Multibanco sem fios, mas não o utiliza porque o dono tem de andar 800 metros à procura de rede. Paulo César Fajardo está a descobri-las e a filmá-las para um documentário a estrear em 2011.

O projecto tem dez anos: o ensino superior colocou o realizador em Peniche e Paulo encantou-se com a mística e a vida da (e na) Berlenga, “um calhau plantado no meio do oceano”.

Uma década depois, encontrou tempo para se dedicar à Berlenga com a atenção merecida. Depois de quatro dias na ilha e muitas incursões pontuais (que vão continuar), o documentário ganha forma.

“Documentar a ilha é trabalho para um ano inteiro. Nada me tinha preparado para o que encontrei”. Surpreendeu-o a vida da reserva natural e, sobretudo, as pessoas e suas histórias.

“Simbolizam o espírito da ilha”. Paulo César Fajardo não tem prazo para terminar o documentário. “Quero estar satisfeito com o resultado, sentir que não deixei nada por abordar e o dever cumprido”.

Rendido à ilha, Paulo César Fajardo assume que o que mais o impressiona é “o espírito comunitário das pessoas”. “Faz-nos sentir super bem-vindos lá”. Agora, à conta disso, não consegue ir à Berlenga e vir de mãos a abanar. “Não nos livramos de trazer o porta-bagagens cheio de peixe!”.

“Teasers”:

(publicado a 19 de Novembro de 2010, actualizado a 25 de Janeiro de 2011 com “teasers” do documentário)

Manuel Leiria
manuel.leiria@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.