Assinar
Desporto

União de Leiria tem de pagar 250 mil euros para voltar a jogar no Estádio de Leiria

A União de Leiria terá de pagar 250 mil euros à Leirisport se quiser disputar a temporada 2011/2012 no Estádio de Leiria, anunciou hoje o presidente da empresa municipal que gere a infraestrutura.

A União de Leiria terá de pagar 250 mil euros à Leirisport se quiser disputar a temporada 2011/2012 no Estádio de Leiria, anunciou hoje o presidente da empresa municipal que gere a infraestrutura.

No final de uma reunião entre as partes, António Martinho, presidente da Leirisport e vereador do Desporto da Câmara de Leiria, afirmou que “o principal entrave” para a assinatura de um novo contrato de utilização do estádio com a União de Leiria “é uma dívida que está por pagar e que tem de ser paga”.

No valor de 250 mil euros, essa dívida refere-se ao usufruto que a equipa leiriense fez do recinto na época passada, em que tinha de pagar 17.500 euros (mais IVA) por jogo e 500 euros por treino suplementar. Mas não cumpriu.

Hoje, no final da reunião, num ponto as opiniões coincidiram: “O acordo tem de ser rápido”, notou António Martinho, porque a União de Leiria “vai começar a época a 04 de julho”.

“Há um conjunto de boas vontades para resolver o problema. Colocámos as nossas questões e agora vamos aguardar uma resposta da SAD. Mas as coisas podem ser resolvidas se a dívida for liquidada”, afirmou António Martinho.

O presidente da Leirisport lembrou que a União de Leiria SAD terá de pagar o que deve, nem que a empresa municipal acione a cláusula de penalização de meio milhão de euros que existe no contrato.

A Leirisport já agiu judicialmente para que a União de Leiria SAD pague a dívida. O processo entrou no Tribunal Judicial de Leiria a 12 de maio e, na sequência, no início de junho, a vistoria da Liga Portuguesa de Futebol ao recinto, obrigatória para a participação da União de Leiria no novo campeonato, foi barrada.

Hoje, tentou-se uma conciliação e António Martinho admitiu dar o benefício da dúvida. “Vamos definir um período para que estas novas pessoas que chegaram à SAD possam trabalhar”, afirmou, referindo-se ao novo diretor-geral, Jorge Alexandre.

“Vamos ver como as coisas se resolvem. A câmara tem a disponibilidade, como sempre teve, em conversar com as pessoas e encontrar soluções”, acrescentou.

Da parte da União de Leiria, Jorge Alexandre assinalou “o primeiro passo” dado. “Vamos ter mais reuniões e há vontade absoluta em resolver este problema com a câmara e também o problema que existe com a população de Leiria, para aproximar as pessoas da equipa”. Um acordo com a câmara e Leirisport é fundamental para “as pessoas voltarem a acreditar no clube”.

A SAD da União de Leiria entende que “não é uma situação que se vá resolver num ou dois dias”, mas uma solução deve surgir “na próxima semana”. Jorge Alexandre recusou pronunciar-se sobre a dívida para com a Leirisport: “É um assunto interno”.

Sobre um futuro entendimento para a União de Leiria jogar no Estádio de Leiria, António Martinho avisou: “O novo contrato terá de ter algumas regras para não acontecer o mesmo que aconteceu este ano. O anterior foi elaborado numa perspetiva de alguma boa vontade e não surtiu efeito, por isso a questão está em tribunal”.

“O próximo”, sublinhou, “terá de ser definido de maneira a que haja garantias de pagamento”.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.