Assinar Edições Digitais
Sociedade

Crise poderá atrair mais visitantes às comemorações da Batalha de Aljubarrota

As autarquias da Batalha e de Alcobaça esperam que a crise atraia mais visitantes às comemorações da Batalha de Aljubarrota que se realizam entre 12 e 15 de Agosto, afirmaram ontem os representantes dos respectivos municípios, em conferência de imprensa.

As autarquias da Batalha e de Alcobaça esperam que a crise atraia mais visitantes às comemorações da Batalha de Aljubarrota que se realizam entre 12 e 15 de Agosto, afirmaram ontem os representantes dos respectivos municípios, em conferência de imprensa.

São Jorge será palco de recriações da Batalha de Aljubarrota

“As pessoas não têm dinheiro, mas continuam a querer experiências e divertir-se”, argumentou o adjunto do presidente da Câmara de Alcobaça, Bruno Letra, que aproveitou para sublinhar o facto de “todas as iniciativas serem gratuitas”.

A vereadora da Cultura da Câmara da Batalha, Cíntia Silva, lembrou que, “no ano passado, algumas famílias não fizeram férias mais longe e mantiveram-se nos concelhos vizinhos” por causa da crise. “Pode ser que este ano isso volte a acontecer”, disse a autarca.

A inclusão do município de Alcobaça na organização do evento é uma das novidades destacadas nas comemorações deste ano.

Bruno Letra frisou que Alcobaça “é a última conquista deste projecto”, juntando-se pela primeira vez a Porto de Mós, Batalha e Fundação Batalha de Aljubarrota na organização das comemorações.

O presidente da Fundação Batalha de Aljubarrota, Alexandre Patrício Gouveia, diz que a partir de agora “está constituída a equipa que irá ter um papel importante na afirmação da região”, recordando que a batalha desenrolou-se naqueles três concelhos.

Alexandre Patrício Gouveia prometeu mais arrojo na divulgação do evento que, para o próximo ano, será feita a uma escala nacional.

A vereadora da Cultura da Câmara da Batalha destacou outra estreia: o lançamento de um passaporte cultural, “idêntico a um passaporte de viagem, mas que visa promover o turismo, a natureza e o património local”.

Trata-se de uma ideia que tem sido desenvolvida pela autarquia da Batalha e que irá incluir entidades como o Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota (CIBA) e as Grutas das Moedas.

O passaporte terá o custo simbólico de um euro e vai ser vendido em estabelecimentos hoteleiros da região.

A conferência de imprensa serviu ainda para divulgar o sítio na Internet (www.626aljubarrota.com) no qual será possível consultar o programa das comemorações que decorrem entre 12 e 15 de Agosto.

A Feira Medieval de Aljubarrota, que no ano passado atraiu 30 mil visitantes, a recriação de algumas cenas da batalha em São Jorge, no CIBA, e os concertos dos Deolinda e José Cid são alguns dos destaques do programa.

 

LUSA