Assinar Edições Digitais
Desporto

Dupla leiriense quer regressar à competição em Janeiro

Marco Soares e Ruben Brígido sabem como é complicado estar longe daquilo que mais gostam de fazer devido a uma lesão. Querem regressar em breve

Um estalo, semelhante a um chuto numa caneleira de carbono. Foi este o som que ficou na memória de Marco Soares e Ruben Brígido, ambos jogadores da União de Leiria, após a lesão que sofreram. Os últimos meses foram de trabalho intenso e os dois estão prontos para regressar à competição.

No passado sábado, sentiram-se fortes e confiantes no amigável com o Tourizense (5-1), mas o receio de sofrer uma nova lesão é algo que ainda os atormenta. Não falam na dor que sentiram, nem dos momentos no hospital, mas recordam como se fosse hoje, o ruído – o tal estalo – que ouviram no momento quando caíram no chão.

Marco Soares, uma peça importante no onze inicial da União de Leiria, lesionou-se frente ao Sporting, a 31 de Outubro de 2010. Fracturou a tíbia e o perónio da perna esquerda e preparava-se para quatro meses de paragem. A fractura não calcificou como seria de esperar e seguiram-se mais duas cirurgias. 390 dias depois e muitas sessões de fisioterapia e ginásio, o internacional cabo-verdiano acredita no seu regresso. “Estou a ganhar confiança e a recuperar. Há dias em que ainda sinto dores, mas acredito que em breve vou ser útil para a equipa”, confessou esta semana ao REGIÃO DE LEIRIA.

“Manuel Cajuda disse-me para não ter pressa. Vou trabalhar para recuperar a forma física e ajudar a União de Leiria e a selecção de Cabo Verde”. Foi precisamente de Cabo Verde que o jogador recebeu uma das milhares de mensagens de apoio. “O Presidente da República de Cabo Verde ligou-me. Nunca tinha falado com ele. Deu-me muita força e desejou-me sorte na recuperação”, diz. Espera fazer parte dos planos de Cajuda na segunda volta do campeonato.

Foi neste exemplo de confiança, espírito de sacrifício e capacidade de superação  de Marco Soares que Ruben Brígido se apoiou, quando em Julho passado, durante o estágio de pré-época, fracturou o perónio da perna direita. Tempo de paragem: seis meses. Já passaram quatro.

“Quando percebi o que me tinha acontecido senti uma tristeza enorme. Tinha grandes expectativas para a época, sentia-me bem fisicamente e a lesão veio condicionar-me a época”, refere o atleta da Caranguejeira.

O regresso dos dois jogadores pode acontecer dentro de poucas semanas, após o Natal. E porque os desejos de quadra festiva ainda não sofreram cortes, os atletas aproveitam para deixar o seu pedido: “Que as lesões se afastem e que possamos fazer um bom trabalho pela equipa”.

Leia mais na edição de 25 de Novembro de 2011.

Marina Guerra (Textos)
Joaquim Dâmaso (fotos)