Assinar Edições Digitais
Sociedade

Câmara de Ansião defende criação de Casa da Administração Pública no concelho

O presidente da Câmara Municipal de Ansião, Rui Rocha, defendeu hoje a criação de uma Casa da Administração Pública no concelho, que agregue serviços do Estado ligados à Saúde, Finanças, Justiça e Segurança Social.

O presidente da Câmara Municipal de Ansião, Rui Rocha, defendeu hoje a criação de uma Casa da Administração Pública no concelho, que agregue serviços do Estado ligados à Saúde, Finanças, Justiça e Segurança Social.

Rui Rocha

“Seria uma forma de otimizar recursos e poupar despesas, assegurando, ao mesmo tempo, um atendimento de proximidade, à semelhança do que sucede com a Loja do Cidadão”, explicou o autarca, sublinhando que o Palácio da Justiça e o atual edifício das Finanças são dois espaços com potencial para o projeto.

O autarca do PSD sustentou que “o Governo deveria adotar estratégias concertadas entre os diferentes Ministérios, no âmbito das reformas que estão a ser feitas no país, sobretudo quando estão em causa territórios deprimidos”, com tendência para a desertificação.

“Sem esta estratégia, podemos ser confrontados com situações em que os mesmos cidadãos acabam por ser vítimas de um conjunto de reformas que os deixam sem quaisquer serviços”, frisou.

Para sexta-feira, Rui Rocha tem agendada uma reunião no Ministério da Justiça, na qual irá defender a manutenção do Tribunal de Ansião.

“No nosso país há, de facto, necessidade de otimizar e reorganizar serviços. Contudo, no caso de Ansião, os números apresentados na proposta de reorganização judiciária não correspondem à realidade”, destacou o autarca.

Este é um dos argumentos que irá defender numa reunião em que pretende reafirmar a fundamentação que consta de duas moções aprovadas pela Câmara e pela Assembleia Municipal e que foram enviadas ao primeiro-ministro, à ministra da Justiça, à presidente da Assembleia da República e ao Presidente da República.

Uma posição que surgiu após ser conhecida a proposta de reorganização do mapa judiciário, que agrega a comarca de Ansião à de Figueiró dos Vinhos.

As moções recordam que “o concelho de Ansião é o maior concelho do norte do distrito de Leiria, com 13.100 habitantes” e que é “claramente o único a conseguir estabilizar a sua população”.

Lusa