A “velhinha” Estrada Nacional 1 (EN1), também conhecida por Itinerário Complementar 2 (IC2), está novamente na moda. Depois de anos seguidos
a perder importância para as modernas autoestradas, quem faz da estrada o seu dia-a-dia, descobriu-a como alternativa “low cost”.

Carlos Costa vende batatas na EN1 e nota um aumento de trânsito e de clientes (fotografia: Joaquim Dâmaso)

“A ordem que temos é para evitar as autoestradas, é só a nacional”, confessa João Ferreira, camionista de longo curso que entre uma viagem a França e outra a Itália, parou para almoçar em Santo Antão, Batalha.

As estatísticas dão-lhe razão. As autoestradas continuam a perder “clientes”. E a EN1 ganha utentes. “Tenho mais clientes que o ano passado”, revela Rosa Neto, responsável do restaurante muito popular entre camionistas e que João Ferreira tinha escolhido para a pausa do almoço.

“Tenho de ir carregar”, avisa este camionista da Figueira da Foz que segue viagem.

Leia a reportagem na íntegra nas páginas 6 e 7 da edição de 30 de março de 2012 do REGIÃO DE LEIRIA.