Select Page

Ansiolítico urbano: Feli(cidade) é…

Ansiolítico urbano: Feli(cidade) é…

Ana Bonifácio, arquiteta urbanista ab@anabonifacio.com

Na relação direta que existe entre felicidade e desenvolvimento, que papel cumprem as cidades?

Um aplicativo lançado na conferência Rio+20, MyFunCity, permite determinar o nível de satisfação dos cidadãos em meio urbano (ainda só os do Brasil), através da avaliação que estes fazem a vários parâmetros (saúde, educação, transportes…) sobre a sua cidade ou rua.

Mas, índices e dispositivos à parte, diz uma canção desse povo ledo: «Felicidade é uma cidade pequenina (…)», onde já me estou a ver “entrar” quando saio de casa às 9 e sigo até um trabalho que não tem um sítio mas vários; onde, com outros, vejo, penso e desenho cidades de outros ainda; onde disputo ideias e ideais como se, eu própria, fosse cidadão da “cidade-cliente” com a esperança (ou pretensão) de lhe conceder… felicidade.

Lá para as 2, ao almoço, tenho canetas, agenda (sim, na cidade-sonho continuo com agenda), caderno, discussões inflamadas e mais amores de ofício. Continuo, a seguir, no mesmo, pelos multiescritórios difusos ou sobre uma mesa da praça central, com panaché e canetas, cheia de gente circulante a velocidades diferentes.

Nesta “cidade pequenina”, depois de umas 6 horas a multiplicar e dividir sobras de energia pelo resto da vida, vou deitar-me (quase por obrigação!) e, quando finalmente fecho os olhos (de tanto rebolarem por dentro), abro-os. E acordo. Afinal, ela existe.

(texto publicado na edição de 24 de agosto de 2012)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

A Câmara Municipal da Marinha Grande deve comprar as piscinas de São Pedro de Moel?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Share This