Assinar Edições Digitais
Sociedade

Turismo sem dinheiro para abrir postos ao fim de semana

Leiria, Batalha e Fátima ficam sem apoios aos turistas nos sábados, domingos e feriados porque a Entidade regional de Turismo de Leiria-Fátima está sem liquidez para pagar funcionários e despesas

A delicada situação financeira da Entidade Regional de Turismo de Leiria-Fátima (ERTLF) fez mais uma vítima. Depois da suspensão do Festival de Gastronomia de Leiria, é a vez de fecharem aos fins de semana e feriados os postos de turismo de Leiria, Batalha e Fátima – os únicos da região que ainda abriam nesses dias.

O serviço era assegurado por trabalhadores eventuais, fora do quadro da ERTLF, mas não há dinheiro para os manter.

“Face à situação financeira da ERTLF foi decidido que era impossível, atendendo à conjuntura atual, continuar o trabalho extra”, explica a vereadora da Câmara da Batalha, Cíntia Silva. O município é um dos mais afetados com a decisão da ERTLF. Pelo Posto de Turismo da Batalha passam cerca de duas centenas de turistas todos os fins de semana.

Mas, no início de agosto, havia apenas um papel na porta a recebê-los. “Enquanto a situação não está resolvida, tentamos que a loja do Mundo Rural preste algum apoio. Mas muitos estrangeiros não perceberam isso nem o porquê do Posto de Turismo estar fechado”, nota Cíntia Silva.

Na Batalha não se esconde a preocupação. “O Posto de Turismo é de extrema importância. Estamos a fazer diligências para colmatar a situação”, adianta a vereadora. A Câmara da Batalha pediu ao Instituto do Emprego e Formação Profissional um contrato de inserção para conseguir uma solução para reabrir o Turismo. “Estamos a aguardar a aprovação da candidatura. Esperamos resolver a situação no máximo dentro de duas semanas”.

Em 2011, só a disponibilidade das autarquias para assumirem as despesas com os trabalhadores eventuais durante seis meses – até dezembro – manteve os postos abertos. Agora o encerramento aconteceu mesmo.

O presidente da Câmara de Leiria lembra que tudo está difícil, também para as autarquias, “acima de tudo, [com] os constrangimentos gerados pela Lei dos Compromissos”. O presidente da ERTLF, Paulo Fonseca, que lidera também o município de Ourém, não se mostrou disponível para comentar.

 

Manuel Leiria
manuel.leiria@regiaodeleiria.pt