Assinar
Sociedade

Autocarros urbanos de Leiria circulam com excesso de passageiros

Na última paragem antes de chegar à cidade de Leiria, o autocarro urbano que faz a ligação entre Gândara e Telheiro, às 7h40, está na sua capacidade máxima. Melhor, acima da sua capacidade.

Na última paragem antes de chegar à cidade de Leiria, o autocarro urbano que faz a ligação entre Gândara e Telheiro, às 7h40, está na sua capacidade máxima. Melhor, acima da sua capacidade.

p11 transportes-cor ARQ
Maioria dos passageiros viaja de pé no autocarro (fotografia de arquivo)

Os 15 passageiros que entram no autocarro, na Quinta do Bispo, conhecem o seu destino. Vão para o centro de Leiria, mas também vão ter que viajar em pé, no autocarro, e encostados à porta de entrada. Não há mais espaço no transporte coletivo. E o próximo autocarro só passa daí a 40 minutos.

Na sexta-feira, 18 de outubro, o REGIÃO DE LEIRIA fez a viagem. Sem lugar sentado disponível, a solução foi viajar de pé, junto da porta de entrada, e esperar que não existisse nenhuma travagem repentina ou emergência.

A situação repete-se todas as manhãs, desde o início do ano letivo. A elevada procura de estudantes, a juntar aos habituais passageiros, fez disparar a afluência para mais de 50 utilizadores àquela hora.

Alguns passageiros disseram ter alertado a Rodoviária do Tejo para o problema e afirmam que “é um crime transportar pessoas assim”, outros “brincam” com a situação e sabem que terão que viajar de pé e apertados se querem chegar a horas.

Questionado, Paulo Carvalho, diretor da Rodoviária do Tejo, explicou que desde ontem, quarta-feira, “está uma pessoa a fazer a aferição” da utilização dos transportes urbanos na cidade de Leiria, de forma a adequar melhor a oferta à procura.

Adiantou também que a Rodoviária do Tejo irá reunir com a autarquia e estudar a flexibilidade dos horários e dos autocarros, de modo a satisfazer todas as necessidades.

Também Lino Pereira, vereador com o pelouro do trânsito, refere que está a ser feita uma avaliação “pela Câmara e a Rodoviária do Tejo que visa adaptar os circuitos às novas necessidades da população”, tendo em conta o aumento do número de residentes em determinadas zonas. A existir, as alterações deverão ser implementadas no início de 2014.

(Notícia publicada na edição de 24 de outubro de 2013)

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.