Assinar
Desporto

Leiria pode ser base nacional de ultimate frisbee de relva

Associação Portuguesa pondera sediar o campeonato nacional de relva em Leiria. Este fim de semana, cem jogadores disputam no estádio os títulos português e ibérico.

Uma modalidade desportiva, auto arbitrada, praticada em conjunto de forma harmoniosa e muito rica em orientação espacial, já para não falar no possibilidade de melhorar a resistência física. O frisbee, ou disco, será a estrela do campeonato nacional e ibérico de relva de ultimate que vai decorrer este fim de semana, no estádio de Leiria.

p22_lfo@Joao_Lagoa
Atletas da Península Ibérica vão lançar discos no relvado do Estádio de Leiria
(fotografia: João Lagoa)

O ultimate frisbee pode ser praticado indoor, na praia e na relva, e é essa vertente que pode fazer de Leiria a base nacional da competição.

“Está a ser definido pela Associação Portuguesa de Ultimate e Desportos de Disco (APUDD) que cada local fique responsável pelas competições de cada tipo de piso. Propus que Leiria, e os Leiria Flying Objects (LFO), ficassem com esta prova. Se correr bem, no domingo, vamos receber esse feedback”, explica José Amoroso, treinador e presidente dos LFO, confiante na mais valia (e impacto) que um espaço como o estádio de Leiria pode ter para a divulgação da modalidade, a nível nacional, mas também europeu.

Sábado, dia 17, a partir das 10h30, entram em prova seis equipas, quatro portuguesas e duas espanholas – Leiria Flying Objects, Lisboa Ultimate Club, Os Gambozinos (Aveiro), Vira’O’Disco (Palmela), Quimera (Salamanca) e Frisbillanas (Sevilha) -, num total de uma centena de atletas. A final está agendada para domingo, às 14 horas, seguida do 1º Encontro Nacional de Jovens Jogadores, que vai reunir alunos de escolas da região, numa ação de divulgação da modalidade.

“Esta é a minha luta, tem 14 anos. Costumo dizer que é o meu ‘filho’ mais velho. Conheci o frisbee enquanto fiz Erasmus, sempre pratiquei desporto e sei que quem contacta com o frisbee, gosta. Pretendo levar a modalidade às escolas e enriquecer o plano curricular das crianças com mais uma atividade física, onde o fair play e a boa disposição reinam”, justifica.

Reativado em 2012, os LFO é dos clubes no país com mais atletas inscritos (20) e prepara-se para dar um novo passo:

Na próxima época quer formar duas equipas, para poder disputar as competições de uma forma mais aplicada e, ao mesmo tempo, cativar novos jogadores para a equipa, quer para as provas de praia, quer para indoor e relva.

Quanto ao campeonato do próximo fim de semana, José Amoroso sabe que os LFO não vão ter vida fácil, mas admite causar alguns estragos: “Sei das dificuldades, mas também sei que não é impossível. Acredito que podemos conquistar o terceiro lugar. Temos uma equipa muito motivada e empenhada”.

As entradas no estádio são livres e o técnico realça que “quem gosta de ver um bom jogo, vai adorar assistir ao campeonato”. “Quem gosta de desporto, tem que ir. É o mote”, afirma.

 

Regras

O ultimte de relva disputa-se num campo de 100 metros de comprimento por 37 metros de largura e o jogo começa com as equipas alinhadas, sete para sete, ao longo da sua zona de marcação. O disco pode avançar em qualquer direção e os jogadores não podem correr nem ter o disco na mão mais de 7 segundos. O disco passa para a outra equipa sempre que: toque no chão; for apanhado fora do campo; for intercetado por um jogador adversário; ou não for lançado ao fim de 7 segundos.

A partida termina quando uma equipa chegar aos 15 pontos ou, ao fim de 60 minutos, com o ponto em disputa. O contacto físico é totalmente proibido e as faltas são arbitradas pelos próprios jogadores.

 

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.