Assinar
Sociedade

Voluntários deixam uma refeição, um abraço e o coração cheio

Associação Atlas leva as refeições quentes a idosos. Refood Leiria prepara-se para dar nova vida às sobras dos restaurantes. Por e para quem mais precisa

“Já estava à vossa espera!”. A frase é dita à chegada dos voluntários que, por um imprevisto ou outro, se atrasam dez, quinze minutos. Todos os sábados, desde 1 de março, à hora de almoço, uma dupla de voluntários da associação Atlas leva a casa de alguns idosos as refeições quentes para o fim de semana.

atlas A rotina ainda não criou raízes entre a população da cidade de Leiria – e muitos são os que desconhecem o projeto – mas o pouco tempo que estes novos amigos passam com os idosos já é apreciado como se de uma longa amizade se tratasse.

Júlia (nome fictício) já esperava a chegada das camisolas brancas com letras e esfera vermelhas. “Já viu a quantidade de comida que trazem?… e é muito boa”, conta.

Mas a comida não é o único pretexto da visita. O projeto Velhos Amigos pretende combater o isolamento, distribuir afetos, partilhar vivências e, no final, todos saem a ganhar. “No voluntariado, ganhamos sempre e isso enche-nos o coração. O dia do idoso é como o de um doente de hospital, tem muito mais horas que as nossas e qualquer entretém vale por muito. Aquela meia hora que passamos com a pessoa vai ser recordada até ao final do dia e nós também vamos ficar a pensar neles”, explica Helena Vasconcelos, presidente da Atlas e uma das voluntárias.

Abrir a porta
A rotina ao sábado começa com a equipa de voluntários a levantar a comida no restaurante que está encarregue de confecionar as refeições para o idoso. Há ainda quem, de livre vontade, acrescente fruta, pão ou um pedaço de queijo.

voluntariosEntregar a comida ainda quente é o próximo passo. A área principal de atuação é o centro da cidade de Leiria e as pessoas são referenciadas através do programa da PSP Idosos em Segurança, do Conselho Local de Ação Social de Leiria ou assistentes sociais.

Com quatro idosos, o Velhos Amigos pretende crescer e chegar a mais beneficiários já a partir do próximo mês. Contudo, tal implica que se encontrem mais restaurantes dispostos a fornecer refeições. A associação pretende ainda encontrar uma empresa que, no âmbito da responsabilidade social, assegure a entrega das refeições no quinto sábado de cada mês, para não sobrecarregar os voluntários. “São apenas quatro sábados em 2014, durante uma hora e meia, e a fazer feliz alguém que está do outro lado”, realça Irene Primitivo, coordenadora do Velhos Amigos, acrescentando que “este sentido de compromisso é fundamental para o projeto”.

Bicicletas dão nova vida à comida
Acabar com o desperdício dos restaurantes, cafés, pastelarias e supermercados e ajudar quem precisa é também o objetivo do Refood.
O projeto surgiu em Lisboa, em 2011, através de Hunter Halder, um cidadão americano, que começou a recolher sobras das refeições dos restaurantes do bairro onde vivia, de bicicleta, e a distribuir por pessoas carenciadas.

refood

Na última segunda-feira, dia 12, Hunter Halder e um grupo de 12 voluntários, que está a dar os primeiros passos em Leiria, reuniu para apresentar a ideia para Leiria. Juntou 180 pessoas.

Refood Leiria vai trabalhar com as instituições locais para identificação e encaminhamento de pessoas carenciadas e ser “mais uma entidade que evite o desperdício e ajude as pessoas”. “Há muita recetividade em aderir ao projeto. A experiência diz-nos que isto leva cinco, seis meses a implementar e a criar uma rotina, mas o que interessa agora é dar conhecimento do projeto e a partir daqui formar equipas”, explica.

Por isso, o núcleo procura pessoas interessadas em trabalho voluntário que possam ir para o terreno, falar com os restaurantes e encontrar um local, com capacidade de refrigeração, para instalar o núcleo. “A intenção é reciclar tudo o que for possível, recolher os alimentos e depois distribuí-los”, explica César Lopes, um dos elementos do grupo, que gostava de ter o maior número de voluntários possível para poder pegar nas bicicletas o quanto antes e ajudar quem precisa.

Leia a reportagem completa na edição de 8 de maio de 2014.

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.