O antigo árbitro internacional português António Garrido morreu hoje, aos 81 anos, vítima de doença prolongada.

Considerado um dos melhores árbitros portugueses de sempre, Garrido, natural da Marinha Grande, foi escolhido pela FIFA para apitar em dois Mundiais, na Argentina, em 1978, e em Espanha, em 1982. Também arbitrou a final do Europeu de 1980, em Itália.

“Destacou-se na sua época e no seu tempo, um tempo difícil para exercer a arbitragem. A qualidade do seu trabalho foi valorizada e por isso foi um árbitro com experiência internacional e prestigiado”, recorda Júlio Vieira, presidente da Associação de Futebol de Leiria, que privou com o juiz algumas ocasiões.

Também Olegário Benquerença, árbitro leiriense internacional, destaca a figura na arbitragem nacional. “A arbitragem portuguesa perde hoje [terça-feira] uma das suas figuras maiores e alguém que no seu tempo marcou toda uma geração de árbitros. António Garrido conseguiu, numa altura que Portugal era ainda um país isolado no panorama desportivo internacional, rasgar fronteiras e afirmar-se internacionalmente, conseguindo com brilhantismo chegar a fases finais do campeonato do mundo e a uma final do Europeu”. “No momento de tristeza para a sua família, aproveito para apresentar condolências, partilhando a dor que seguramente sentem nesta altura difícil”, acrescentou.

O velório realiza-se hoje, a partir das 15 horas, na Igreja da Marinha Grande, e o funeral decorre na quinta-feira, para o cemitério da mesma localidade.

10671464_10152413230794436_4189144301102220903_n
António Garrido