Select Page

Eduardo Lopes: Estudar a Europa a partir de Paris

Saiu de Leiria aos 18 anos rumo a Londres, Inglaterra, para se licenciar em Relações Internacionais. Depois de concluir a licenciatura, Eduardo Lopes optou por seguir estudos, desta vez na capital francesa, onde irá viver durante os próximos dois anos enquanto estiver a tirar o mestrado em Estudos Europeus no Instituto de Ciência Política de Paris (SciensesPo Paris).

É natural de Regueira de Pontes, concelho de Leiria, e a maior parte do seu tempo em França é passado nas aulas ou a estudar. No entanto, ao fim do dia rende-se ao quotidiano parisiense e bebe um copo de vinho com os amigos num café. “Os dias em Paris são agitados e stressantes, por isso é mais comum fazermos jantares em casas de amigos do que sair para bares, discotecas e sítios mais agitados. Quando está bom tempo (o que por aqui é raro) gosto de comprar uma baguete e uma garrafa de vinho e conviver com os meus amigos à beira do rio Sena e desfrutar da vista e do estilo de vida parisiense”, conta.

O jovem leiriense, de 22 anos, confessa que esperava uma adaptação mais rápida ao país do que aquela que enfrentou. “Encontrei grandes diferenças entre Londres e Paris. Em geral os franceses são mais fechados e difíceis de conhecer, especialmente para quem não domina a língua. Passei os primeiros meses a tentar ultrapassar a barreira linguística e conseguir entender como tudo funciona. De momento estou mais confortável, porque já tenho um melhor domínio do francês e da cidade”, explica.

É apaixonado pelo pão, vinho, crepes e pela arquitetura francesa. Por outro lado, vê Paris como uma cidade com um custo de vida elevado. “Isso vê-se especialmente na quantidade de refugiados e sem-abrigo que dormem nas ruas, uma situação óbvia a todos os que visitam a cidade”, refere.

Orgulha-se da cidade em que nasceu, principalmente depois de partir para outro país, mas regressar a Leiria não está, para já, nos seus planos. “Estou a estudar Assuntos Europeus, por isso, penso que o meu futuro passará por Bruxelas ou outra capital europeia”. PS

Artigo publicado da edição do REGIÃO DE LEIRIA de 3 de maio de 2018

O melhor por lá

Multiculturalidade. “As várias culturas representadas em Paris dão-lhe um dinamismo e ambiente acolhedor”, diz.

O pior por lá

“Os franceses são um pouco rudes e menos acolhedores para quem não fala a língua. Não gostam muito de falar inglês”, reconhece Eduardo Lopes.

O mais surpreendente

“Foi bastante difícil habituar-me ao facto de a maior parte das lojas e supermercados estarem fechados ao domingo. Os franceses põem a vida à frente do trabalho e não o trabalho à frente da vida”, afirma.

 

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga-nos

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da semana

A carregar

Concorda com um agravamento de 30% na quota de condomínio para os proprietários de alojamento local?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Região de Leiria no Facebook

Subscrição de newsletter

Share This