Select Page

Alunos do secundário dormem duas horas a menos do que o recomendado

Natália Galício, Pedro Ferreira e Mariana Lopes inquiriram alunos do 11º ano da Secundária Francisco Rodrigues Lobo

Os alunos do ensino secundário dormem em média apenas seis a sete horas por noite, quando as recomendações apontam para um mínimo de oito a dez horas por noite.

“Os alunos estão a dormir menos duas horas do que há dois séculos e isso tem um impacto gravíssimo na concentração, na capacidade de raciocínio, no desempenho escolar” e saúde do indivíduo, conclui Mariana Lopes, que com Natália Galício e Pedro Ferreira, todos alunos do 12º ano da Secundária Francisco Rodrigues Lobo, desenvolveu o estudo “Importância da qualidade do sono no desempenho escolar e a sua influência no sistema imunitário” no âmbito da cadeira de Biologia.

Segundo Mariana Lopes, os resultados a que chegaram “são assustadores”. E embora seja difícil comprovar a relação entre a qualidade do sono e a capacidade de raciocínio e sucesso escolar, Natália Galício frisa ter sido possível verificar que, ao nível da imunidade, a falta de sono “afeta traços físicos e psicológicos”.

Da análise ao inquérito efetuado a 220 alunos do 11º ano da Rodrigues Lobo (123 raparigas e 97 rapazes com idade entre 16 e 18 anos), foi possível registar que a “acne e dores de garganta são os sintomas físicos que mais destacam e associam à falta de sono”.

“Sabemos que a acne, infeções na garganta e constipações são causadas por microorganismos que estão sempre em contacto connosco mas o facto de acontecer com maior frequência quando dormem menos indica que poderá ser isso que está a causar este tipo de infeções”, acrescenta.

Segundo Mariana Lopes, estas infeções são consideradas “oportunas” porque “atacam mais quando o sistema está mais debilitado” e “quando dormimos pouco o sistema imunitário fica mais debilitado”.

Os autores do estudo, desenvolvido ao longo do primeiro período letivo, consideram urgente a mudança de hábitos entre os jovens. Adotar um horário para ir dormir, de forma regular, afastar os dispositivos eletrónicos duas horas antes do deitar – “porque emitem muita luz azul que suprime a libertação da melatonina, uma hormona que regula o nosso ciclo de sono”, e evitar os estimulantes como o café e os refrigerantes podem ajudar a melhorar a qualidade do sono.

O inquérito contou com o apoio de Teresa Paiva, neurologista, especialista em medicina do sono e responsável pelo CENC – Centro de Electroencefalografia e Neurofisiologia Clínica, da psicóloga Emília Kumar e das professoras Ana Gameiro e Isabel Vieira.

O estudo indica entre outras conclusões que cerca de 60% dos alunos (130) dormem apenas seis a sete horas por noite e que apenas seis (2,8%) dormem mais de nove horas. Embora a grande maioria(199) considere a qualidade do seu sono como razoável, boa ou muito boa, a maioria (55,5%) admite demorar mais de 15 minutos a adormecer.

Quem dorme menos admite sentir necessidade de dormir uma sesta ou pouco entusiasmo para tarefas ou hobbies. Mas não só. Entre os alunos que dormem menos de 8 a 9 horas por noite, 42,9% refere registar maior quantidade de acne, 34,1% dores de garganta, 30,2% náuseas, 11,1% aparecimento de aftas, 11,1% prisão de ventre, 7,1% diarreia, 4% inflamação das gengivas e 4% vómitos. 

(Notícia publicada na edição de 10 de janeiro de 2018 do REGIÃO DE LEIRIA)

Martine Rainho
Jornalista
martine.rainho@regiaodeleiria.pt

%

Cerca de 60% (130) dos alunos inquiridos dormem entre 6 a 7 horas, e 34,4% (75) entre 8 e 9 horas. Um número residual de alunos dorme 5 horas ou menos (3,2% que correspondem a 7 alunos) e apenas seis (2,8%) dormem mais de 9 horas”, refere o estudo

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda com a redução de 50% do tarifário dos passes dos transportes públicos?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Share This