Select Page

Helder Roque demite-se da presidência do Centro Hospitalar de Leiria

Helder Roque demite-se da presidência do Centro Hospitalar de Leiria

Helder Roque demitiu-se da presidência do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Leiria (CHL). A decisão foi comunicada pelo presidente cessante numa mensagem enviada na manhã desta quarta-feira, dia 6, aos colaboradores do CHL, quase 14 anos depois de ter sido eleito para a presidência que agora deixa.  

Na sua mensagem, Helder Roque revela que apresentou a sua demissão há quase uma semana à ministra da Saúde, Marta Temido. “Apresentei, na manhã de quinta-feira, dia 28 de fevereiro, a minha demissão à senhora ministra da Saúde”, adianta Helder Roque na mensagem a que o REGIÃO DE LEIRIA teve acesso.

Aliás, na mensagem, o até agora presidente do Conselho de Administração (CA), revela que esta não é a primeira vez que pediu para sair do cargo: “por duas vezes, ao longo deste percurso, solicitei a minha saída. Por duas vezes me deram expectativas quanto à resolução de diversos dos problemas do CHL. Por duas vezes recuei expectante”.

Helder Roque reconhece que o CHL “vive momentos bastante difíceis e de bastante saturação”. Uma situação que resulta, entende, do facto de não existirem “condições para colmatar as necessidades mínimas em pessoal”. Além disso, “não há meios para investimento”. As “medidas de contenção”, lamenta, “acabam por só permitir a libertação de meios para que os mais gastadores paguem as suas dívidas”.

Helder Roque refere que insistiu no reforço dos meios do hospital: “bati-me incessantemente pela obtenção de mais meios para a nossa instituição”. E acrescenta: “não tenho dúvidas de que a minha saída do CHL, enquanto protesto, é o melhor contributo que posso prestar à continuação do sonho, que creio a todos comum: reforçar a dimensão do CHL como instituição de referência regional”.

A administração do CHL tem estado debaixo de críticas, com as ordens de Médicos e de Enfermeiros, bem com os sindicatos a criticarem a más condições de trabalho e a falta de recursos humanos para levar a cabo o atendimento dos utentes.  

Nota: Notícia atualizada às 12h47 com mais detalhes sobre o teor da mensagem de Helder Roque

1 Comentário

  1. José Oliveira

    Bom dia para a minha opinião não é falta de pessoal para trabalhar. Porque quem vai para comsultas vê muitos médicos e enfermeiros a passear pêlos corredores. É os utentes esperam um dia para ser visto por um médico.

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

A programação da Capital Europeia da Cultura deve ou não incluir espetáculos tauromáquicos?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Share This