Assinar Edições Digitais

Assembleia de Freguesia do Reguengo do Fetal chumba exploração da Pedreira da Barrosinha

A Assembleia de Freguesia do Reguengo do Fetal reprovou ontem, por unanimidade, a instalação de uma exploração de massa mineral na Pedreira da Barrosinha, em terrenos baldios, junto à sede de freguesia.

A Assembleia de Freguesia do Reguengo do Fetal reprovou ontem, por unanimidade, a instalação de uma exploração de massa mineral na Pedreira da Barrosinha, em terrenos baldios, junto à sede de freguesia.

Numa reunião que contou com a presença de cerca de meia centena de moradores, os elementos da assembleia foram unânimes na reprovação da instalação daquela exploração.

Recorde-se que atualmente está em consulta pública o procedimento de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) do projeto “Pedreira da Barrosinha”, relativa à exploração de massas minerais.

Os planos de exploração pertencem à empresa Mármores Vigário, entidade que realizou no local atividades de pesquisa e, posteriormente, avançou com a intenção de exploração de inertes. Estes planos motivaram a recente criação da Comissão de Defesa do Reguengo do Fetal – Pedreiras só com História que, composta sobretudo por moradores da freguesia, pretende travar este e outros projetos similares.

O chumbo da instalação da exploração na Pedreira da Barrosinha, aprovado pelos elementos da Assembleia de Freguesia do Reguengo do Fetal na noite desta quinta-feira, dia 19, deverá ditar a impossibilidade de concretização da referida exploração, uma vez que os terrenos baldios onde ela se realizaria são administrados pela Junta de freguesia.

A elevada participação popular, marcada pela presença de diversos elementos da Comissão de Defesa do Reguengo do Fetal – Pedreiras só com História, obrigou à transferência de local da assembleia que, ao invés de se realizar nas instalações da Junta de freguesia, decorreu no salão paroquial.

O assunto foi debatido durante cerca de duas horas, com diversas intervenções de moradores a reclamarem uma ação efetiva dos autarcas da freguesia no sentido de travar a instalação de novas pedreiras na freguesia.

No final da reunião, que durou três horas, Paulo Pires, presidente da Assembleia de Freguesia, deixou a sugestão de criação de um grupo de trabalho composto por elementos do executivo local e da Comissão, visando delinear estratégias para impedir a proliferação de pedreiras no Reguengo do Fetal.

CSA