Deputados defendem o fim do licenciamento de pedreiras para a freguesia Foto: Joaquim Dâmaso Oposição ao licenciamento de novas pedreiras na Torre e no Reguengo do Fetal e defesa da valorização das pedreiras históricas do Mosteiro da Batalha. Esta é, na essência, a posição unânime, tomada pelos deputados municipais da Batalha, na noite de ontem, quinta-feira. Os deputados dos três partidos com assento na Assembleia Municipal da Batalha – PSD, PS e CDS-PP – aprovaram uma moção que expressa “firme oposição ao licenciamento de novas explorações de pedreiras naquela região da Torre e Reguengo do Fetal”. O documento prevê que esta tomada de posição seja transmitida ao Ministério do Ambiente, entidade que tutela o organismo responsável pelo licenciamento de novas pedreiras. A moção solicita ainda que o Ministério da Cultura, “apoio para a celeridade na conclusão dos processos em curso de ampliação da Zona Especial de Proteção dos Sítios de Interesse Municipal das pedreiras históricas de Valinho do Rei e Pidiogo, bem assim na proteção da pedreira histórica do Caramulo e classificação do painel turístico em azulejo da extinta companhia aérea ‘PAN AM’”. Nessa mesma noite, a Assembleia de Freguesia do Reguengo do Fetal chumbou os planos para a instalação de uma exploração de inertes na Pedreira da Barrosinha, localizada em terrenos baldios.