Os responsáveis da candidatura da CDU, reconhecem que a coligação falha o objetivo de eleger um deputado pelo distrito de Leiria. Heloísa Apolónia, dirigente do PEV, era a aposta da coligação, no círculo de Leiria, para conseguir eleger um representante na Assembleia da República.

Cerca das 21h30, Ângelo Alves, dirigente do comité central do PCP e responsável pela campanha na DORLEI, dirigiu-se às cerca de três dezenas de pessoas presentes no Centro de Trabalho do PCP na Marinha Grande, admitindo que perante os resultados apurados até o momento, a CDU deverá falhar a eleição de um deputado por Leiria.

Heloísa Apolónia, revelou Ângelo Alves, enviou uma mensagem aos presentes:

“Valeu muito a pena os meses que percorremos o distrito”. “Consideramos que a voz da CDU [eleita por Leiria] era necessária”, enfatizou o dirigente comunista.

Ângelo Alves lembrou algumas das bandeiras da candidatura – a mobilidade e a defesa da Linha do Oeste, a recuperação dos territórios afetados pelos incêndios, no norte do distrito e na Mata Nacional de Leiria, entre outros aspetos – sublinhado que estas são questões que continuarão no centro das preocupações da CDU.

“Os votos na CDU não são desperdiçados”, sublinhou. O responsável adiantou que as primeiras indicações saídas das eleições de hoje, apontam para que a CDU manterá a sua base no distrito: “no essencial, mantem a sua base social eleitoral de apoio”. Elogiando o empenho dos candidatos por Leiria, Ângelo Alves deixou a convicção de que “mais cedo que tarde” o distrito de Leiria “voltará a ter um deputado eleito pela CDU”.

A declaração do responsável do comité central antecedeu, em alguns minutos, a declaração do secretário-geral do partido, Jerónimo de Sousa, escutada com atenção na televisão que reúne as atenções na sala.